Leia também:
X ONU fala em punir Bolsonaro após ato com criança fardada

Maior cometa já descoberto está viajando na direção da Terra

Corpo celeste gigantesco é cerca de dez vezes maior que asteroide que extinguiu os dinossauros

Monique Mello - 05/10/2021 18h40 | atualizado em 06/10/2021 12h15

Cometa om 150 km de diâmetro está na direção do Planeta Terra Foto: Pixabay

Um dos maiores cometas já observados está vindo da borda do sistema solar em direção à Terra e deve se aproximar ainda mais nos próximos 10 anos. Com 150 km de diâmetro, ele é cerca de 31 vezes maior do que os cometas geralmente vistos pelos astrônomos.

Ele foi detectado pela primeira vez em 2014, mas só agora – sete anos depois – os cientistas foram capazes de identificá-lo. O asteroide que extinguiu os dinossauros tinha 15 km de diâmetro, ou seja, era 10 vezes menor.

Batizado de Bernardinelli-Bernstein em homenagem aos cientistas que o descobriram, o asteroide primeiro foi confundido com um pequeno planeta conhecido como planeta anão.

À medida que se aproxima da Terra, os cientistas poderão observá-lo e aprender mais sobre a formação do sistema solar.

– Temos o privilégio de ter descoberto talvez o maior cometa já visto – ou pelo menos maior do que qualquer um bem estudado – e o flagramos cedo o suficiente para que as pessoas o vissem evoluir à medida que se aproxima e aquece […] Ele não visita o sistema solar há mais de três milhões de anos – disse Gary Bernstein, um dos astrônomos que descobriram o cometa.

O brasileiro Pedro Bernardinelli, da Universidade da Pensilvânia, também participou da descoberta.

A descoberta do cometa foi, inclusive, de uma forma inesperada. A iniciativa Dark Energy Survey, que mapeou de 2013 a 2019 o céu do hemisfério sul, tinha o objetivo de encontrar informação relevante para o estudo da energia escura. A precisão e profundidade do mapeamento, contudo, permitiu também outras utilidades, entre elas descobrir o gigantesco corpo celeste.

Um cometa é um corpo celeste que, assim como os planetas, orbita o sol e é normalmente composto de gelo, poeira e pouco material rochoso. Pode ser identificado por deixar uma “cauda” que se estende por milhões de quilômetros. O que diferencia o Bernardinelli-Bernstein é o seu tamanho já que a maioria dos 3.473 cometas descobertos tem menos de 5km de diâmetro.

Ele estará mais próximo da Terra no dia 21 de janeiro de 2031.

Leia também1 Equipe russa decola para gravar o primeiro filme no espaço
2 Rainha tem túnel secreto que liga o palácio a bar em Londres
3 Netflix é processada devido ao sucesso da série Round 6
4 Grupo Globo investe milhões em outras empresas. Veja quais são!
5 Relatório revela causa que levou à tragédia em Brumadinho

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.