Maduro anuncia investimento da Rússia na Venezuela

Acordo bilionário beneficiará setores do ouro e petróleo no país sul-americano

Pleno.News - 06/12/2018 17h04

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em encontro do Mercosul
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela Foto: Lula Marques/ AGPT

Nesta quinta-feira (6), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a assinatura de vários contratos com a Rússia. Ele revelou investimentos de mais de 6 bilhões de dólares (R$ 23 bilhões) em projetos conjuntos nos setores petrolíferos e auríferos.

– Estamos bem. Encerramos uma visita extraordinária – disse Maduro em um vídeo postado no Twitter.

Maduro se reuniu ontem com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Como resultado, ele explicou que hoje em Moscou foi assinado um contrato que garante investimentos para elevar a produção petrolífera com os parceiros russos nas empresas mistas até quase um milhão de barris.

Ainda segundo o governante venezuelano, a essa quantia se soma o acordo para investir uma quantia superior a US$ 1 bilhão para a produção em mineração, fundamentalmente em ouro. Quanto ao setor de mineração, ele antecipou que uma comissão exploratória de empresários russos viajará em breve à Venezuela para abordar a possibilidade de investir no setor de diamante.

Na publicação, Maduro falou em uma pequena sala de reuniões com uma vidraçaria e o Kremlin ao fundo. No vídeo, ele informou também sobre a assinatura de um contrato para garantir o fornecimento de 600 mil toneladas de trigo para o pão do povo venezuelano, que cobrirá todas as necessidades do seu país em 2019.

– Isto é muito importante, já que vocês se lembram da guerra do pão que fizeram há dois anos, que já fizeram nos processos revolucionários em outros países para desestabilizá-los – comentou.

OUTRAS ÁREAS
No plano militar, ambas as partes fecharam contratos para o atendimento, assistência e reparação do sistema de armas da república bolivariana da Venezuela.

Meios de comunicação russos informaram sobre a reunião do ministro da Defesa venezuelano, o general Vladimir Padrino López, com seu homólogo russo, Sergei Choigu, a quem expressou o interesse de Caracas em modernizar e renovar seus equipamentos militares. Por sua parte, Choigu ressaltou que a Rússia está interessada em continuar utilizando os aeródromos e portos do país caribenho para seus navios de guerra e aviação militar.

Maduro qualificou a aliança com a Rússia de integral, energética, alimentar, comercial, de telecomunicações e armamentista. Ele ressaltou que, em março, se reunirá novamente com a comissão mista em Moscou para seguir avançando na relação.

– Só me resta dizer-lhe: Obrigado, presidente Putin! Obrigado ao povo russo! E seguimos avançando nesta aliança a Rússia e a Venezuela, mais unidas que nunca. Vencendo pelo caminho de Bolívar, pelo caminho de Chávez. Sempre pelo caminho de Chávez. Viva a Venezuela! – afirmou.

A ETERNA QUESTÃO DO PETRÓLEO
Nicolás destacou ainda que a Venezuela defende um novo corte na extração de petróleo, assunto que já foi tratado nesta quinta na cúpula da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em Viena. O objetivo é evitar que caiam os preços.

Nesse sentido, ele antecipou que a partir de 2019 venderá todo seu petróleo na criptomoeda petro. Esse plano também foi abordado pela delegação venezuelana com os dirigentes russos durante a estadia de Maduro em Moscou.

O presidente russo, Vladimir Putin Foto: EFE/Alexey Nikolsky/Sputnik/Kremlin

POSIÇÃO DE PUTIN
Putin apoiou ontem a normalização das relações entre Maduro e a oposição. Ele condenou qualquer tentativa de mudar a situação política no país latino-americano pela força, em alusão à suposta ingerência dos Estados Unidos.

*Com informações da Agência EFE

LEIA TAMBÉM+ Príncipe Harry é ameaçado de morte por grupo racista
+ Duterte, presidente filipino, incita o povo a matar bispos


Clique para receber notícias
WhatsApp
Envie sugestões por WhatsApp
+55 (21) 97150-9158