Leia também:
X EUA não irão suspender operação do Boeing 737 MAX 8

Justiça manda prender atrizes por fraudes em vestibulares

Lori Loughlin e Felicity Huffman são acusadas de comprar vagas em universidades

Camille Dornelles - 13/03/2019 09h33 | atualizado em 13/03/2019 10h09

A polícia dos Estados Unidos emitiu um mandado de prisão para duas atrizes de Hollywood nesta quarta-feira (13). As artistas Felicity Huffman, indicada ao Oscar de Melhor Atriz por Transamerica, e Lori Loughlin, conhecida por Full House, são investigadas por fraudes em vestibulares.

O FBI interceptou conversas das duas, que são acusadas de terem pagado por uma aprovação de seus filhos em universidades de elite. Loughlin e o marido Mossimo Giannulli pagaram 500 mil dólares para que a filha Olivia Jade fosse aprovada, com bolsa de atleta, na Universidade do Sul da Califórnia.

Huffman chegou a ser presa nesta quarta-feira, mas foi liberada após pagar fiança de 250 mil dólares (R$ 950 mil). Jade também foi detida e solta após pagar a mesma quantia.

Além das duas, outras 48 pessoas são alvo da mesma operação. As fraudes teriam sido cometidas nas universidades de Yale, Stanford, Texas (UT), Califórnia (UCLA) e do Sul da Califórnia (USC). Os indiciados podem ser condenados a até 20 anos de prisão pelo crime de transferência fraudulenta de fundos.

ENTENDA O CASO
Segundo as apurações do FBI, os acusados entraram em contato com o empresário William Rick Singer, da Califórnia, para comprar as vagas. William criou um cursinho pré-vestibular de fachada para arrecadar o dinheiro. Depois, repassava às instituições de ensino.

Os agentes avaliam que foram gastos mais de 6 milhões de dólares (R$ 22 milhões) nos esquemas fraudulentos.

Leia também1 Shakira recebe intimação da Justiça sobre fraudes fiscais
2 Shakira pode ser denunciada por fraude fiscal na Espanha
3 Unesp expulsa 27 cotistas por não serem negros nem pardos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.