Irã prende suspeitos de atuar na queda de avião da Ucrânia

Prisões aconteceram pedido do presidente do país para que fosse montado um tribunal especial

Paulo Moura - 14/01/2020 07h28

Autoridades iranianas prenderam vários suspeitos nesta terça-feira (14), por suspeita de atuação na queda do Boeing 737-800 da Ukraine International Airlines na última quarta-feira (8). A aeronave caiu logo após decolar do aeroporto de Teerã, capital do Irã. As informações foram divulgadas pela emissora iraniana Press TV.

Segundo o porta-voz da comissão judiciária do país, Ghulam Hussein Ismaili, os suspeitos foram presos “por seu papel no acidente do avião”. As detenções aconteceram depois que o presidente iraniano, Hassan Rouhani, exigiu que o país estabelecesse um “tribunal especial chefiado por um juiz sênior” para processar os responsáveis ​​pela queda.

As autoridades do país persa assumiram no sábado (11), que o equipamento foi abatido por mísseis do país. O Irã disse que a aeronave foi “acidentalmente” abatida depois de voar em direção a um local militar sensível, chamando o caso de “erro humano”.

Entre os 176 ocupantes que morreram na tragédia, havia 82 iranianos, além de 63 canadenses, 11 ucranianos, 10 suecos, quatro afegãos, três britânicos e três alemães.

LEIA TAMBÉM+ No Irã, manifestantes pedem saída do líder supremo do país
+ General do Irã assume culpa por queda de avião da Ucrânia
+ Irã admite que derrubou avião ucraniano, mas alega erro


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo