Leia também:
X Mianmar: Cristãos perseguidos são presos durante culto

Interpol: Ação prende fugitivos no Brasil e em mais sete países

Alvos foram alguns dos criminosos mais procurados da região, acusados de crimes como assassinato, sequestro ou violência sexual

Pleno.News - 12/03/2021 14h33 | atualizado em 12/03/2021 15h23

Interpol realizou operação internacional que prendeu foragidos até no Brasil Foto: Agência Lusa

Uma operação coordenada pela Interpol, que envolveu oito países da América Latina, entre eles o Brasil, resultaram na prisão de 13 pessoas, segundo divulgou a organização policial internacional.

Os alvos foram alguns dos criminosos mais procurados da região, acusados de crimes como assassinato, sequestro e/ou violência sexual. As detenções aconteceram entre 22 de fevereiro e 5 de março, de acordo com as informações da Interpol.

No entanto, a operação, que foi iniciada em 20 de novembro do ano passado como parte do projeto denominado PAcCTO, formou há alguns anos uma aliança de colaboração permanente. Além do Brasil, houve prisões na Argentina, na Bolívia, na Colômbia, na Costa Rica, no Equador, em Panamá e no Peru, segundo divulgou a Interpol.

No território boliviano, foi detido o chefe de uma rede internacional de tráfico de drogas que havia introduzido mais de duas toneladas de cocaína no Brasil e acabou sendo capturado em Santa Cruz de la Sierra.

Na Argentina, foi preso um homem que era procurado pelas autoridades peruanas, sob a acusação de exploração sexual de menores de idade e tráfico humano.

Todos os detidos eram alvos, desde o fim do ano passado, dos chamados alertas vermelhos da Interpol, que pede a colaboração das forças de segurança de todo o mundo para a localização e a prisão de determinado indivíduo. A operação, que teve os detalhes divulgados hoje, é a que mais presos rendeu dentro do projeto de colaboração internacional PAcCTO.

– Estes resultados só são possíveis graças à rede permanente PAcCTO, que foi construída ao longo do tempo entre as equipes nacionais de investigação de fugitivos – afirmou Stephen Kavanagh, diretor-executivo de Serviços de Polícia da Interpol.

*EFE

Leia também1 STF: Governo tem 48h para dizer se está pagando UTI-Covid em SP
2 Covid: Governo do RJ anuncia toque de recolher entre 23h e 5h
3 Auxílio: Atualização de cadastro no Caixa Tem começa domingo
4 Globo aumenta restrições nos sets e proíbe atores idosos
5 Mourão: "Lula foi condenado por corrupção. Isso não muda"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.