Leia também:
X Putin fez tratamento contra um câncer em abril, diz revista

Hospital registra 1º transplante de pulmões incompatíveis

Médicos fizeram procedimento em um bebê, na Espanha

Pleno.News - 02/06/2022 21h09 | atualizado em 03/06/2022 11h33

Hospital da Espanha é pioneiro em transplante de pulmões incompatíveis [Imagem Ilustrativa] Foto: Pixabay
Médicos de um hospital na Espanha realizaram com sucesso um transplante bipulmonar em um bebê com incompatibilidade de grupo sanguíneo. Essa foi a primeira intervenção feita no mundo com uma técnica para evitar a rejeição dos pulmões do doador.

A cirurgia aconteceu no Hospital La Fe, na cidade de Valência, em janeiro deste ano. Segundo disse à Agência EFE, Gabriel Sales, chefe do serviço de Cirurgia Toráxica e Transplante Pulmonar da unidade de saúde, a criança “está muito bem e quase pronta para ir para casa”.

A equipe médica conseguiu fazer o primeiro transplante bipulmonar com uma técnica de filtragem plasmática com absorção imunológica. O procedimento permite utilizar pulmões incompatíveis e tornar possível a operação.

Segundo Sales, a recuperação do bebê foi “um desafio” em todos os sentidos e também “longa” por causa de um problema surgido, que não teve relação com o transplante e já está “em vias de ser resolvido”.

O médico explicou que a criança chegou ao hospital com um vírus respiratório que fez piorar a doença que ela sofria, uma hipertensão pulmonar, por causa disso, precisou ser internada na UTI.

Após detectar uma falha pulmonar global, com uma hipertensão pulmonar que deteriorava o coração e que impossibilitava a ventilação, foi preciso sedar o bebê e administrar uma assistência circulatória extracorporal artificial.

Depois dos exames pertinentes, a equipe médica determinou que a única solução era um transplante.

– Encontrar um órgão compatível poderia nos atrasar no processo de encontrar um doador – disse Sales.

Embora o grupo sanguíneo do doador não fosse o mesmo que o do bebê, “tivemos certeza, porque é um tempo vital, e todo dia, o paciente pode apresentar uma complicação”, conforme disse o profissional.

– Pudemos reduzir esse tempo de espera com o procedimento que utilizamos, que nos permitiu utilizar pulmões incompatíveis e tornar possível o transplante – acrescentou o especialista.

Até então, para poder utilizar os órgãos sem compatibilidade, era preciso fazer “uma troca de todo o plasma sanguíneo, o que gera algumas complicações a mais no próprio transplante”.

O Hospital La Fe é o que mais realizou transplantes de órgãos na Espanha em 2022, totalizando 323. Destes, 117 foram hepáticos.

Além disso, foi o segundo do país com maior número de transplantes pulmonares, com 55.

*EFE

Leia também1 Putin fez tratamento contra um câncer em abril, diz revista
2 "PSOL quer mudar nome de centro de saúde pra Marielle"
3 Atriz Marilu Bueno é internada em hospital municipal do Rio
4 China: Xangai volta a impor confinamento contra a Covid-19
5 Meta dará cobertura de saúde para cobrir transição de gênero

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.