Leia também:
X Por preocupações com Ômicron, Paris cancela fogos no Réveillon

Holanda decreta lockdown por causa da variante Ômicron

Medida entrará em vigor neste domingo

Pleno.News - 18/12/2021 21h49

Amsterdã, Holanda Foto: Pixabay

Neste sábado (18), o governo da Holanda decretou o confinamento da população. A medida entrará em vigor neste domingo (19) e valerá até 14 de janeiro.

Segundo informações da agência EFE, está previsto o fechamento de toda as atividades não essenciais no país, incluindo escolas e universidades.

As medidas são formas de tentar combater a propagação da variante ômicron do novo coronavírus e foram definidas em reunião de emergência entre os integrantes da cúpula do Executivo.

Em entrevista coletiva, o primeiro-ministro interino, Mark Rutte, explicou que poderão seguir abertos estabelecimentos como supermercados, farmácias e postos de gasolina. Já restaurantes, cinemas, teatros e academias deverão parar suas atividades.

Além disso, também deverão fechar os salões de beleza e barbearias.

Instalações esportivas fechadas também deverão suspender o funcionamento. O esporte ao ar livre será permitido, no entanto, em um horário limitado.

Ficam proibidos eventos culturais, shows, entre outros, e o número de convidados para cerimônias ficará limitado a 100.

Ainda de acordo com as medidas anunciadas neste domingo, será permitido um número máximo de dois visitantes em cada residência por dia, com exceção do período de 24 a 26 de dezembro e da noite de réveillon, quando há autorização para quatro pessoas.

O chefe de governo da Holanda falou em tom de lamento sobre “voltar mais uma vez ao confinamento” e destacou que a medida é “inevitável, pois a ômicron se propaga mais rápido do que se temia”.

Segundo Rutte, a variante será dominante no país, e responderá pelo maior número de novas infecções pelo novo coronavírus, ainda antes do fim deste ano.

Embora tenha sido anunciado um “confinamento rígido”, e o primeiro-ministro tenha pedido para que as pessoas evitem sair de casa, ele garantiu que será possível ir à rua para compras essenciais ou para caminhadas, sem controle policial.

Porém, Rutte pediu que, sempre que possível, a população adote o trabalho remoto.

O diretor do Centro de Controle de Doenças Infecciosas da Holanda, Jaap van Dissel, também participou da entrevista coletiva e disse que, apesar das incertezas sobre a Ômicron, já se sabe que os anticorpos acumulados até agora não protegem de maneira suficiente. Ele cobrou que todos que não tenham se vacinado procurem logo um local para receber a aplicação de dose de imunizante, o que vale também para as pessoas aptas ao reforço, que estará disponível para os adultos a partir de 7 de janeiro.

De acordo com dados oficiais, na Holanda, 84% das pessoas com mais de 12 anos contam com esquema completo de vacinação, sendo que 1,48 milhão de pessoas já receberam a dose extra.

Segundo o Instituto de Saúde Pública do país, nas últimas 24 horas, foram registrados mais 14.742 casos de infecção e 50 mortes por Covid-19.

 

Leia também1 Por preocupações com Ômicron, Paris cancela fogos no Réveillon
2 Ministério da Saúde adia decisão sobre vacinação infantil
3 Pfizer diz que sua vacina não é eficaz em crianças de 2 a 5 anos
4 Tribunal de Haia informa que não receberá CPI da Covid
5 Randolfe pede a Moraes que investigue Bolsonaro por 'intimidar a Anvisa'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.