Leia também:
X Trump diz que deve ser preso na terça-feira e pede protestos

Fotos de Macron são queimadas por manifestantes em Paris

Ao menos 60 pessoas foram presas

Pleno.News - 18/03/2023 14h24 | atualizado em 20/03/2023 12h41

Fogueira feita por manifestantes em Paris Foto: EFE/EPA/TERESA SUAREZ

Ao menos 60 pessoas foram presas em Paris, nesta sexta-feira (17), durante protestos, que ocorrem pelo segundo dia consecutivo em grandes cidades francesas contra a impopular reforma previdenciária.

O projeto foi promovido pelo governo do presidente Emmanuel Macron e aprovado nesta quinta (16) por decreto e sem votação na Assembleia Nacional.

Assim como no dia anterior, milhares de pessoas, muitas jovens, protestaram na emblemática Praça da Concórdia, sem bandeiras de partido ou organizações sindicais. Além das 61 prisões, cinco policiais ficaram feridos.

Em meio à mobilização na praça, foi acendida uma enorme fogueira na qual foram queimadas imagens de Macron, o qual acusam de “dar as costas” à democracia por aprovar a reforma graças ao artigo 49.3 da Constituição, que permite pular a votação parlamentar para certos projetos de lei.

Os protestos acabaram com a intervenção das forças antidistúrbios, que cercaram a praça. Outras cidades como Toulouse, Bordeaux, Lyon e Estrasburgo também registraram manifestações.

Na noite de sexta, a tensão foi maior, pois as forças de segurança prenderam centenas de manifestantes, boa parte em Paris, e tiveram de lidar com a queima de automóveis, mobiliário urbano e barricadas.

*EFE

Leia também1 Trump diz que deve ser preso na terça-feira e pede protestos
2 Djokovic perde outro torneio por vacina e pode deixar de ser n° 1
3 Rússia: Ordem de prisão contra Putin é "nula" e "inadmissível"
4 Ortega substitui embaixadores no Brasil, Coreia do Sul, e outros
5 EUA: Ator Lance Reddick morre aos 60 anos, diz site

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.