Leia também:
X Elon Musk já tem “plano B” caso não consiga comprar o Twitter

Forças britânicas treinam tropas na Ucrânia, afirma The Times

Notícia chega em um momento de tensões crescentes entre Rússia e Reino Unido

Thamirys Andrade - 16/04/2022 19h53 | atualizado em 18/04/2022 12h35

Forças britânicas treinam tropas na Ucrânia, afirma The Times
Membros das forças armadas ucranianas ao lado de edifícios danificados Foto: EFE/EPA/ROMAN PILIPEY

Membros das forças especiais do Reino Unido estão treinando tropas locais em Kiev pela primeira vez desde que a invasão russa da Ucrânia começou, em 24 de fevereiro; informou neste sábado o jornal britânico The Times. Oficiais de dois batalhões destacados na capital ucraniana e arredores disseram ao jornal que receberam treinamento militar de soldados britânicos nas últimas duas semanas.

Entre eles, o capitão Yuriy Myronenko, cujo batalhão está em Obolon, ao norte de Kiev, que explicou que militares das forças especiais vieram para instruir novos recrutas na utilização dos NLAW, os mísseis antitanque fornecidos pelo Reino Unido.

O Ministério da Defesa em Londres não confirmou essa informação, citando seu protocolo de não comentar sobre operações especiais.

O jornal destaca que esta é a primeira vez que a presença de soldados britânicos ativos em solo ucraniano é verificada desde o início da guerra, já que até agora os treinadores eram ex-militares ou voluntários.

Os preparadores britânicos já estavam na Ucrânia após a invasão da Crimeia, mas foram retirados em fevereiro para evitar um conflito direto com as forças russas e a possibilidade da Otan ser envolvida no atual conflito.

A notícia chega em um momento de tensões crescentes entre a Rússia e o Reino Unido, que assumiu um papel de liderança na Europa ao armar Kiev e sancionar Moscou.

Desta forma, a Rússia proibiu hoje o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e 12 outros altos funcionários de entrar no país por “ações hostis sem precedentes” tomadas contra Moscou por seu governo.

– Esse passo foi dado como resposta à desenfreada campanha político-informativa desencadeada por Londres, que visa o isolamento internacional da Rússia, a criação de condições para conter nosso país e estrangular a economia nacional – disse o Ministério das Relações Exteriores russo ao anunciar a medida.

*EFE

Leia também1 Ucrânia diz já ter achado corpos de 900 civis na região de Kiev
2 Inundações na África do Sul deixam pelo menos 398 mortos
3 Rússia perde navio de guerra e ameaça aumentar ataque a Kiev
4 Premiês da Finlândia e Suécia avaliam possível adesão à Otan
5 Rússia faz ameaça nuclear contra adesão da Suécia e Finlândia à Otan

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.