Leia também:
X Israel reage após novamente ser alvo de balões incendiários

EUA: Suprema Corte permite que abrigo cristão vete pais LGBTs

Judiciário do país defendeu que orfanato católico negasse adoção por casais do mesmo sexo

Gabriela Doria - 17/06/2021 22h09

Suprema Corte dos EUA referendou decisão de abrigo católico Foto: Reprodução

A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu, por unanimidade, permitir que uma agência de adoção católica na Filadélfia vete pedidos de casais do mesmo sexo. O Serviço Social Católico (SSC) acionou a corte máxima do país alegando violação da liberdade religiosa após o município impor restrições ao contrato com o abrigo.

O grupo Serviços Sociais Católicos afirma no processo que “as tentativas da Filadélfia de excluir a Igreja Católica de orfanatos” afrontam a Primeira Emenda. A cidade da Filadélfia, por sua vez, disse que o SSC “carece do direito constitucional de exigir que o DHS [Departamento de Serviços Sociais] ofereça a ele um contrato que omita o mesmo requisito de não discriminação que todos os outros FFCA [abrigos] devem seguir ao realizar serviços para a cidade”.

Apesar do argumento, os noves juízes da Corte, entre conservadores e progressistas, decidiram a favor das organizações católicas.

– O SSC busca apenas uma acomodação que lhe permita continuar servindo as crianças da Filadélfia de maneira consistente com suas crenças religiosas; ele não busca impor essas crenças a ninguém. A recusa da Filadélfia em contratar o CSS para a prestação de serviços de acolhimento, a menos que concorde em certificar casais do mesmo sexo como pais adotivos, não pode sobreviver a um escrutínio estrito e viola a Primeira Emenda – escreveu o presidente do tribunal John Roberts em opinião majoritária.

A decisão é considerada uma vitória para os conservadores.

– Hoje, a Suprema Corte afirmou corretamente que a Constituição garante às agências baseadas na fé a liberdade de assédio e discriminação do governo por causa de suas crenças religiosas sobre o casamento – disse o presidente da Votação Católica, Brian Burch, em um comunicado.

Leia também1 Premiê da Hungria defende lei contra homossexualidade
2 Hungria proíbe a 'promoção da homossexualidade' entre menores
3 Biden polemiza ao trocar "mães" por "pessoas que deram à luz"
4 Embaixada dos EUA no Vaticano exibe bandeira do orgulho LGBT
5 LGBT: Estúdio Marvel confirma personagem com gênero-fluido

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.