Leia também:
X Maduro acusa diretor da CIA de conspirar contra a Venezuela

EUA retiram tropas da maior base aérea no Afeganistão

Fechamento de Bagram encerra quase 20 anos de guerra

Thamirys Andrade - 02/07/2021 10h17 | atualizado em 02/07/2021 10h53

Presidente dos EUA, Joe Biden Foto: EFE/Chris Kleponis

Os Estados Unidos retiraram suas tropas da base aérea de Bagram, seu principal centro de operações no Afeganistão, em meio ao processo de saída das forças internacionais após quase duas décadas de guerra, segundo confirmaram fontes oficiais nesta sexta-feira (2).

– Todas as forças da coalizão já deixaram Bagram – disse um funcionário de alto escalão das forças dos EUA no Afeganistão, que pediu para permanecer anônimo.

Pouco depois da confirmação, as forças do Afeganistão assumiram o controle da base aérea.

– Todas as tropas da coalizão e dos EUA deixaram a base aérea de Bagram na noite passada. A base foi entregue à ANDSF (Forças de Defesa e Segurança Nacional do Afeganistão). A ANDSF protegerá a base e a usará para combater o terrorismo – confirmou à Efe um porta-voz do Ministério da Defesa do Afeganistão.

A tomada do comando da base aérea, localizada cerca de 70 quilômetros ao norte de Cabul, faz parte do processo de transferência acordado com os EUA para a retirada das tropas internacionais.

Conforme planejado, as forças dos EUA e da OTAN entregariam equipamentos e instalações militares ao Afeganistão antes da evacuação de seus soldados do país, que começou em 1° de maio.

Com a transferência de Bagram, os EUA encerram sua presença militar em seu campo de aviação mais importante no Afeganistão, após quase duas décadas de conflito, junto a forças pró-governo, contra os talibãs.

Desde o início da retirada americana (em 1º de maio), o Talibã tomou o controle de quase 80 dos 407 distritos das forças governamentais, levantando sérias preocupações entre os afegãos quanto à sua intenção de encerrar a guerra de 20 anos pela via pacífica.

A guerra no Afeganistão, a mais longa da história dos EUA, começou em outubro de 2001 com a missão de caçar o líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, mentor dos ataques de 11 de setembro, que morreu durante uma operação americana no Paquistão em 2011.

*EFE

Leia também1 Maduro acusa diretor da CIA de conspirar contra a Venezuela
2 China: Pacheco envia carta pelos 100 anos do Partido Comunista
3 Diretor da CIA se encontra com ministros do governo Bolsonaro
4 Variante Delta reacende debate sobre uso de máscaras nos EUA
5 EUA consideram Cuba, Venezuela e China ineficazes contra o tráfico humano

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.