Leia também:
X Produto animal congelado segue como possível causa da Covid-19

EUA e mais 13 países se juntam pedindo ‘transparência’ à OMS

Organização aponta carne congelada como possível origem da Covid-19

Pleno.News - 30/03/2021 14h51 | atualizado em 30/03/2021 15h11

Cidadãos de Wuhan, na China Foto: Agência EFE

Os EUA e outros 13 países expressaram “preocupação” nesta terça-feira (30) com o relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a origem da Covid-19 e pediram mais “transparência” nas fases seguintes do estudo.

De acordo com o relatório final de uma equipe de cientistas contratada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para investigar a origem do Coronavírus, a cidade chinesa de Wuhan e especificamente o mercado de Huanan não podem ser considerados definitivamente o ponto de origem da pandemia. Cientistas constataram contaminação generalizada em carnes congeladas originárias de mais de 20 países.

– Nós nos reunimos para expressar nossa preocupação comum com relação ao recente estudo da OMS na China, enquanto reiteramos a importância de trabalharmos juntos para desenvolver e usar um processo rápido, eficaz, transparente, baseado em ciência e independente, que seja usado em avaliações internacionais deste tipo de surto no futuro – disseram os governos dos 14 países.

O comunicado conjunto foi distribuído pelo Departamento de Estado em Washington e, além dos EUA, é assinado pelo Canadá, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Israel, Japão, Estônia, Letônia, Lituânia, Noruega, Coreia do Sul, Eslovênia e o Reino Unido.

*Agência EFE

Leia também1 Quem é Yang Wanming, atual embaixador da China no Brasil
2 Chineses fazem doação de R$ 1,7 milhão para sindicatos do Brasil
3 Constantino alerta aproximação de Arthur Lira com a China
4 Covid: Anvisa nega certificação para fábrica da vacina Covaxin
5 Jair Bolsonaro sobre medidas de isolamento: "Eu não fecho nada"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.