Leia também:
X Governo prevê vacinação entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro

EUA: Biden quer “vacinar 100 milhões” nos primeiros 100 dias

Ele também disse que pretende propor um novo pacote de estímulos fiscais em virtude da pandemia

Pleno.News - 29/12/2020 21h07 | atualizado em 30/12/2020 12h08

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden Foto: Reprodução

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta terça-feira (29), que irá propor em 2021 um novo pacote de estímulos fiscais em virtude da pandemia de Covid-19 no país. Ele indicou esperar que o Congresso aja “rapidamente”.

Dentre os objetivos a serem financiados, Biden destaca “vacinar 100 milhões de pessoas nos primeiros 100 dias de mandato”. Segundo ele, “no atual ritmo, levaríamos anos, e não meses, para vacinar todas as pessoas”.

As afirmações foram feitas em um pronunciamento de Biden sobre o tema, que o democrata qualificou como o “maior desafio operacional que já enfrentamos como nação”.

Além disso, o presidente eleito indicou que escolas, transportes, profissionais da saúde e outros setores irão necessitar auxílios adicionais do Congresso para funcionarem em 2021, como verbas para testes de covid-19.

– As próximas semanas e meses serão muito difíceis, talvez os mais complicados da crise – afirmou Biden

Ele indicou ainda que levará tempo para “observarmos melhoras e que talvez [elas] não ocorram antes de março”. Os reflexos dos feriados de final de ano devem aparecer apenas nos próximos meses, indicou o democrata, em meio à “grande pressão” do sistema de saúde.

*Estadão

Leia também1 EUA: Colorado reporta 1º caso de mutação do coronavírus
2 Trump é eleito pelos americanos o homem mais admirado do ano
3 Nos EUA, Kamala Harris é vacinada contra a Covid-19
4 Trump defende 'auxílio Covid' de 2 mil dólares para americanos
5 Trump fala em fraude e chama Biden de 'falso presidente'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.