Leia também:
X Rússia põe em dúvida proposta dos EUA para tratado nuclear

Drones mataram sucessor de Bin Laden na Al-Qaeda, dizem EUA

Egípcio Al-Zawahiri passou a liderar a Al-Qaeda após a morte de Bin Laden, em 2011. Ele ajudou a coordenar os ataques às Torres Gêmeas, em 2001

Gabriel Mansur - 01/08/2022 21h40 | atualizado em 02/08/2022 11h22

Al-Zawahiri Foto: Reprodução/CRUX

No último fim de semana, agentes da Agência Central de Inteligência (CIA) realizaram um ataque com drones em Cabul, capital do Afeganistão, que culminou na morte de Ayman al-Zawahiri, tido como sucessor de Bin Laden e atual líder da Al-Qaeda.

Al-Zawahiri foi um dos fundadores da organização terrorista e virou seu líder depois da morte de Osama Bin Laden em 2011. A informação foi publicada por jornais como o New York Times e o Washington Post e pelas agências de notícias Reuters e Associated Press.

Fontes do governo norte-americano afirmaram à Reuters que não houve vítimas civis na operação. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fará um pronunciamento em que deve detalhar os acontecimentos.

Al-Zawahiri era médico e cirurgião de formação e é apontado como um dos responsáveis pela formação ideológica, as táticas e habilidades organizacionais da Al-Qaeda. Ele é tido como o líder e idealizador dos primeiros atentados suicidas e células independentes, que se tornaram uma marca da rede.

O egípcio ajudou a coordenar os ataques de 11 de Setembro de 2001, nos EUA, em que quatro aeronaves civis foram sequestradas. Ele também é suspeito de ter planejado o ataque a um navio norte-americano que estava atracado no Iêmen, o USS Cole, em 2000, e que deixou 17 marinheiros mortos.

EUA NO AFEGANISTÃO
Em um comunicado, o porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, confirmou que houve um ataque no domingo (31) e fez críticas à operação, que classificou como uma violação aos “princípios internacionais”.

Segundo o New York Times, esse foi o primeiro ataque americano em solo afegão desde a saída definitiva dos militares dos EUA do país, em 31 de agosto de 2021. Se a morte for confirmada, o Talibã passa a ser suspeito de dar abrigo a al-Zawahiri.

Leia também1 Rússia põe em dúvida proposta dos EUA para tratado nuclear
2 Príncipe Charles aceitou doação milionária da família bin Laden
3 Monkeypox: Nova Iorque declara estado de emergência
4 Biden testa positivo para Covid de novo, diz Casa Branca

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.