Leia também:
X Bélgica expulsa 21 diplomatas russos por suposta espionagem

Disney diz que vai lutar pela revogação da lei Don’t Say Gay

Companhia se manifestou contra medida que impede professores de abordarem identidade de gênero nas turmas até o segundo ano

Pleno.News - 29/03/2022 16h20 | atualizado em 29/03/2022 16h56

Disney diz que vai lutar pela revogação da lei Don’t Say Gay na Flórida Foto: Reprodução/ Print de vídeo YouTube Walt Disney Studios BR

Após o governador da Flórida, Ron DeSantis, sancionar na segunda-feira (28) o projeto de lei Don’t Say Gay (Não Diga Gay), a Disney emitiu um comunicado repudiando a legislação.

– O projeto de lei HB 1557 da Flórida, também conhecido como Não Diga Gay, nunca deveria ter sido aprovado e nunca deveria ter sido assinado em lei – disse.

A empresa reforçou que tem como objetivo fazer com que a lei seja revogada pelo Legislativo. Para isso, a companhia se comprometeu em apoiar as organizações nacionais e estaduais que trabalham para barrar o avanço do texto.

– Estamos dedicados a defender os direitos e a segurança dos membros LGBTQ+ da família Disney, bem como da comunidade LGBTQ+ na Flórida e em todo o país.

Com a legislação, escolas e professores ficam impedidos de reconhecer a existência de pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

A Disney acabou envolvida no caso após a descoberta de apoio financeiro feito a políticos favoráveis ao projeto. Inclusive, em resposta, os funcionários fizeram uma carta acusando a empresa de censura em cenas de afeto entre pessoas do mesmo sexo. Dias depois, alguns trabalhadores fizeram um protesto em frente aos Estúdios Disney em Burbank, na Califórnia.

Segundo a revista Variety, antes mesmo de o texto ser aprovado, funcionários LGBTQ+ pediram que a companhia emitisse uma opinião contrária ao projeto. No entanto, o CEO da Disney, Bob Chapek, causou ainda mais revolta ao adotar uma postura branda. Ele disse que o maior impacto que a empresa pode causar na criação de um mundo mais inclusivo é por meio de um “conteúdo inspirador”.

Após a repercussão negativa, Chapek anunciou que a empresa doaria 5 milhões de dólares para campanhas de Direitos Humanos e organizações em prol da comunidade LGBTQ+, além de se comprometer em discutir com o governador sobre a legislação.

*AE

Leia também1 Flórida assina lei que proíbe orientação sexual nas escolas primárias
2 Disney usa conta oficial para apoiar a causa LGBT
3 Após protestos, Disney não cortará beijo lésbico de desenho
4 Funcionários acusam Disney de cortar cenas LGBT em animações
5 Quatro funcionários da Disney são presos por tráfico de pessoas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.