Leia também:
X OMS diz que variante indiana já está em mais de 60 países

Diabos-da-tasmânia voltam a se reproduzir na Austrália

Espécie estava desaparecida há três mil anos

Monique Mello - 26/05/2021 12h18 | atualizado em 26/05/2021 12h31

Diabos-da-tasmânia estão se reproduzindo em estado natural Foto: Pixabay

Os diabos-da-tasmânia (ou demônios-da-tasmânia), em estado selvagem, estavam extintos da parte continental da Austrália há cerca de 3.000 anos. No entanto, nesta terça-feira (25), grupos conservacionistas anunciaram que exemplares destes marsupiais se reproduziram em estado natural.

Há um ano, 26 exemplares adultos foram soltos em uma reserva selvagem de 400 hectares, em Barrington Tops, ao norte de Sydney. De acordo com o grupo conservacionista Aussie Ark, sete marsupiais nasceram nesta reserva.

Para os conservacionistas, este projeto é histórico e semelhante à reintrodução dos lobos no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, na década de 1990, que foi bem-sucedida.

– Uma vez que (os demônios) estavam de volta à selva, tudo dependia deles, o que era angustiante – disse o presidente da Aussie Ark, Tim Faulkner.

Grupos que se esforçaram para a reintrodução da espécie comemoram e enchem-se de esperança de que o esforço para a preservação dela seja bem-sucedido.

– Ficávamos observando-os de longe até que chegou a hora de agir para confirmar o nascimento dos nossos primeiros filhotes selvagens. Foi um grande momento! – comemorou Faulkner.

Os guardas florestais que encontraram os filhotes afirmam que os mesmos estão em perfeito estado de saúde.

 

Leia também1 OMS diz que variante indiana já está em mais de 60 países
2 Terroristas matam 15 cristãos durante batismo na África
3 NY: Candidato a prefeito é preso em protesto por George Floyd
4 Índia: Abandonada no altar, mulher se casa com padrinho
5 Homem tenta jogar mulheres em trilhos do metrô de SP. Vídeo!

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.