Leia também:
X Israel cria córnea sintética que faz cegos recuperarem a visão

Desperdício global de alimento alcança 121 kg por pessoa

Pesquisa mostra que 931 milhões de toneladas de alimentos foram para o lixo em um ano

Pleno.News - 12/03/2021 16h15 | atualizado em 12/03/2021 16h30

Peso do desperdício global equivale a cerca de 23 milhões de caminhões de 40 toneladas

Uma pesquisa lançada este mês mostra que 931 milhões de toneladas de alimentos, ou 17% do total disponível para os consumidores em 2019, foram para a cesta do lixo de domicílios, varejistas, restaurantes e de outros serviços alimentares. O peso do desperdício global de comida equivale a cerca de 23 milhões de caminhões de 40 toneladas totalmente carregados que, se enfileirados, poderiam dar sete voltas na Terra.

O estudo global Índice do Desperdício de Alimentos foi desenvolvido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e pela organização inglesa WRAP (The Waste and Resources Action Programme). Em termos per capita global, a pesquisa mostra que 121 quilos de alimentos por ano são desperdiçados em média, considerando o volume descartado pelos varejistas e consumidores. Desse total, 74 quilos são provenientes de domicílios. O levantamento também inclui estimativas regionais e nacionais per capita.

O novo relatório da ONU complementa o Food Losses Index, elaborado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para Alimentação e Agricultura (FAO), também com contribuições de pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Para Gustavo Porpino, especialista no tema da Embrapa Alimentos e Territórios (Maceió-AL) que colaborou como revisor do estudo da ONU, os achados da pesquisa contradizem a narrativa anterior de que o desperdício nas etapas de varejo e consumo estavam mais concentrados nos países desenvolvidos.

– O estudo indica que ações para reduzir o problema são relevantes tanto em países desenvolvidos quanto em países emergentes. Nos países de renda média-baixa, o desperdício estimado nas famílias foi até maior do que em países de alta renda. Isso se dá porque a classe média baixa tem mais dificuldades de planejar as compras, por vezes não têm os meios para preservar bem os alimentos e um segmento ainda não reaproveita as sobras das refeições. Educação e comunicação para mudança comportamental são importantes para reverter este quadro – avalia.

O estudo também aponta que a maior parte do desperdício acontece nos domicílios, que descartam 11% do total de alimentos disponíveis na fase de consumo da cadeia de abastecimento. Os serviços alimentares e os estabelecimentos varejistas desperdiçam 5% e 2%, respectivamente.

As novas estimativas de desperdício de alimentos mundial foram geradas a partir de pontos de dados existentes e extrapolações baseadas nas estimativas observadas em outros países. O estudo da Embrapa e da Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre desperdício de alimentos em famílias brasileiras, elaborado via projeto dos Diálogos Setoriais União Europeia | Brasil, foi utilizado para estimar o montante desperdiçado na etapa de consumo no país.

*Estadão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.