Leia também:
X EUA admitem erro em ação que matou 7 crianças no Afeganistão

Cruel! China tira crianças com Covid dos pais para isolamento forçado

Cenas de isolamento têm chocado o mundo

Gabriela Doria - 18/09/2021 15h45 | atualizado em 18/09/2021 15h46

Criança foi forçada a ficar em isolamento sem os pais Foto: Reprodução

A dura política chinesa para o isolamento de pessoas contaminadas com a Covid-19 tem gerado cenas comoventes mundo afora. A mais recente mostra uma criança em um hospital usando um macacão de proteção química, conhecido como hazmat, totalmente isolada dos pais e com contato mínimo com a equipe médica.

O vídeo, divulgado na rede social Weibo, espécie de Twitter da China, foi feito por uma enfermeira. Ela explicou que o garoto, que usa mochila com quase metade do seu tamanho, estava indo sozinho até a sala onde seria feita uma tomografia computadorizada.

– Um menino de 4 anos foi infectado (com Covid-19), infelizmente. Sem pais como acompanhantes. Passando a quarentena sozinho – diz a legenda no vídeo.

As imagens foram capturadas em um hospital da cidade Putian, novo epicentro da variante Delta no país.

Nos comentários, pessoas se manifestaram afirmando coisas como: “isso dói no meu coração” e “meus olhos estão ficando marejados”.

O método chinês de repressão da disseminação do coronavírus consiste também em colocar cidades inteiras em lockdown, testar milhões de pessoas à revelia e isolar os contaminados e pessoas próximas em instalações governamentais.

CRIANÇAS ISOLADAS EM HOSPITAL
Na China, a disseminação da variante Delta tem atingido prioritariamente crianças. Em Putian, 57 dos 129 casos registrados recentemente são em menores de 12 anos.

Para evitar a transmissão, as crianças, até mesmo as que estão no jardim de infância, são separadas dos pais e colocadas em quarentena em hospitais.

A enfermeira que gravou o vídeo, Zhu Xiaqing, contou ao jornal local Fujian Health Daily que chorou ao ver uma ambulância lotada de crianças chegando. Todas elas usavam o traje de proteção química. Segundo ela, eles chegaram tarde da noite porque um dos pequenos não queria sair da casa dos pais e chorou durante duas horas antes de se deixar levar pelas autoridades.

Após a chagada, as crianças foram submetidas a exames de tomografia computadorizada. De acordo com Zhu, algumas delas eram tão pequenas que não conseguiam subir na mesa do tomógrafo, e precisaram ser carregadas por médicos.

– Ver crianças sozinhas, sem os pais ao lado, em um hospital que não conhecem e com medo, foi um momento em que meu coração doeu de verdade – admitiu.

Leia também1 Após ataque, Consulado chinês pede 'investigação minuciosa'
2 OAB repudia ataque com bomba ao Consulado da China no RJ
3 Vídeo: Homem joga bomba no Consulado da China no RJ
4 EUA, Inglaterra e Austrália selam acordo militar 'anti-China'
5 Partido Comunista da China diz esperar "estabilidade" do Brasil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.