Leia também:
X Após 20 meses, EUA reabrem fronteiras nesta segunda-feira

Venezuela recebe doses de vacina cubana contra Covid-19

Nicolás Maduro garantiu que o país atingiu 70% da população vacinada

Pleno.News - 07/11/2021 20h52 | atualizado em 08/11/2021 10h05

Nicolás Maduro Foto: EFE/Miguel Gutiérrez/Archivo

Nicolás Maduro anunciou neste domingo (7) que o país havia recebido 1,6 milhão de doses da vacina cubana contra a Covid-19 Abdala. O imunizante cubano foi aprovado em julho para uso em emergências pelo Centro de Controle Estatal de Medicamentos de Cuba (CECMED).

– Hoje, chegaram de Cuba 1,6 milhão (de doses) de vacinas Abdala – declarou Maduro.

O discurso dele foi transmitido no canal de televisão estatal VTV.

Maduro garantiu que a Venezuela atingiu 70% da população vacinada, sem especificar se a porcentagem se refere àqueles inoculados com as duas injeções necessárias para considerar uma pessoa imunizada, ou apenas com a primeira dose.

– Até 30 de novembro, temos que atingir a meta de 80% da população vacinada, e a meta que estimamos para 31 de dezembro é atingir 90% da população vacinada – detalhou.

O chefe de Estado também anunciou que, a partir desta segunda-feira (8), começará o processo de inoculação para crianças com mais de dois anos, embora não tenha dado detalhes sobre qual droga os menores receberão.

Em 21 de outubro, a vice-presidente executiva Delcy Rodríguez, após uma reunião com o primeiro vice-ministro cubano, Ricardo Cabrisas, e com representantes da BioCubaFarma, garantiu que a Venezuela produzirá a vacina Abdala. Porém, até o momento, não houve qualquer informação sobre o começo das atividades.

Na ocasião, Rodríguez também informou que a nação caribenha receberá 12 milhões de doses de Abdala e da Soberana II durante o restante do ano. No entanto, a Sociedade Venezuelana de Doenças Infecciosas (SVI) rejeitou dias depois o uso desses dois imunizantes cubanos por ainda ser necessário “apoio técnico e científico suficientes”. Por isso, não recomendam o uso em adultos e crianças até que haja “maior peso científico para seu uso fora do campo experimental”.

O processo de vacinação contra a Covid-19 na Venezuela foi acelerado no último mês com a chegada de vários lotes da Sputnik V, da CoronaVac e do imunizante do laboratório chinês Sinopharm.

*EFE

Leia também1 Tribunal Penal Internacional investigará a Venezuela
2 Guaidó agradece a Bolsonaro por operação que acolhe migrantes
3 Nicolás Maduro chama Jair Bolsonaro de 'imbecil' e 'palhaço'
4 General denuncia que Lula foi financiado pela Venezuela
5 ONU faz 'vista grossa' e não deve enviar missão eleitoral à Venezuela

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.