Leia também:
X Colômbia: Justiça libera aborto em gestações de até 24 semanas

Covid-19: Inglaterra deixa de isolar os cidadãos infectados

Medida faz parte de nova estratégia de combate à pandemia, que propõe a convivência com a doença, como se faz com a gripe

Pleno.News - 22/02/2022 08h53 | atualizado em 22/02/2022 09h27

Governo britânico tem flexibilizado medidas restritivas contra a Covid-19 Foto: EFE/EPA/Andy Rain

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou nesta segunda-feira (21) o fim do isolamento obrigatório na Inglaterra para pessoas contaminadas por Covid-19, medida-chave em sua nova estratégia de combate à pandemia, que propõe a convivência com a doença, como se faz com a gripe.

– Já temos níveis de imunidade suficientes para passar da proteção das pessoas por meio de intervenções governamentais a vacinas e tratamentos como primeira linha de defesa. As restrições têm custo importante para nossa economia, nossa sociedade, nosso bem-estar mental e as oportunidades dos nossos filhos, e não temos de continuar pagando esse preço por mais tempo – disse.

O fim do isolamento para as pessoas infectadas com a Covid-19 entra em vigor na quinta-feira (24). No entanto, até 1° de abril, recomenda-se permanecer em casa em caso de teste positivo. Nesse dia, os testes para detectar o coronavírus deixarão de ser gratuitos, exceto para as pessoas idosas ou vulneráveis.

Johnson destacou que a pandemia não acabou, mas que 71% dos adultos receberam três doses de alguma das vacinas contra a Covid-19 no Reino Unido, 93% da população de mais de 70 anos.

*AE

Leia também1 Pastor denuncia novo desenho da Netflix que retrata o diabo
2 Colômbia: Justiça libera aborto em gestações de até 24 semanas
3 PTB aciona Justiça contra vacinação em escolas de SP
4 Mulher morre atingida por pilastra ao se balançar em rede
5 Decisão russa viola soberania da Ucrânia, diz secretário-geral da ONU

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.