CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Ataque do grupo Boko Haram na Nigéria deixa 30 mortos

Coronavírus: Japão liberará saída de idosos de cruzeiro

Navio com mais de 130 infectados tem cerca de 80% de pessoas acima de 60 anos a bordo

Paulo Moura - 11/02/2020 10h45

Cruzeiro Diamond Princess continua parado em Yokohama Foto: EFE/EPA/Franck Robichon

O Japão permitirá em breve que os passageiros mais velhos e aqueles que sofrem de doenças crônicas deixem o navio de cruzeiro que permanece ancorado em Yokohama, no qual foi detectado 135 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, segundo informações passadas por uma fonte à agência de notícias “Kyodo”. A fonte afirmou que essas pessoas poderão ser autorizadas a pisar em terra nas próximas horas.

Durante mais de uma semana, o governo japonês tem mantido as 3,6 mil pessoas a bordo do navio de cruzeiro Princess Diamond em quarentena, que deve durar até o próximo dia 19, a fim de evitar mais infecções no país.

A nova decisão do Executivo japonês responde ao fato de que 80% dos 2.666 passageiros têm mais de 60 anos, incluindo pouco mais de 200 que têm 80 anos ou mais. Especialistas disseram que o stress gerado pelo fato de estar preso no navio durante tanto tempo pode agravar a saúde de muitos deles.

O Princess Diamond, American Princess Cruise Lines, deixou Yokohama no dia 20 de janeiro e retornou no dia 3 de fevereiro após parar em Hong Kong, Vietnã, Taiwan e nos portos japoneses de Kagoshima e Okinawa. A embarcação foi colocada em quarentena quando um passageiro que desembarcou em Hong Kong foi diagnosticado com o vírus.

Além dos 135 casos confirmados a bordo da embarcação, todos eles transferidos para hospitais, o Japão registrou até agora cerca de 30 pessoas infectadas com o novo coronavírus.

Os dois últimos casos, disse nesta terça-feira (11) o Ministério da Saúde, são dois homens que foram repatriados de Wuhan anteriormente como parte da operação montada pelas autoridades com quatro voos charter para receber de volta 763 japoneses ou parentes que pediram para voltar ao país.

Os dois últimos homens deram negativo nos primeiros testes, mas depois apresentaram um quadro de febre, o que levou a novos exames e à confirmação da infecção.

*Com informações da Agência EFE

Leia também1 Mortes por novo coronavírus na China passam de mil
2 "É provável que o coronavírus chegue ao Brasil", diz ministro
3 É falso que encomendas da China têm coronavírus

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo