Leia também:
X OMS: Descoberta da origem da Covid poderá ter ‘última chance’

Colômbia: Diplomatas dos EUA relatam Síndrome de Havana

Sintomas incluem tontura, dores de cabeça e até confusão mental

Gabriela Doria - 14/10/2021 15h05 | atualizado em 14/10/2021 15h11

Embaixada dos EUA em Bogotá, na Colômbia Foto: Reprodução/Google Street View

Funcionários que atuam na Embaixada dos Estados Unidos em Bogotá, capital da Colômbia, foram afetados com sintomas típicos da Síndrome de Havana. A informação é da imprensa norte-americana.

A condição clínica é conhecida por causar dores de ouvido, tontura e sensação de pressão na cabeça, além de distúrbios neurológicos. Originalmente, ela foi relatada por diplomatas dos EUA na Embaixada de Havana, capital de Cuba, em 2016 – o que deu nome à síndrome.

Especialistas ainda não conseguiram determinar a origem ou a causa da doença. No entanto, é possível que o contato direto com a radiação de micro-ondas possa causar esse mal.

Ainda não há informação sobre o número certo de funcionários que relataram a condição.

O porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, declarou que o governo norte-americano irá tomar todas as providência e fornecer “todo o cuidado necessário” aos atingidos.

O caso acontece dias antes da visita oficial do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à Colômbia. Ainda em agosto, a vice-presidente Kamala Harris cancelou uma visita ao Vietnã após funcionários diplomáticos relatarem sintomas da Síndrome de Havana.

SINTOMAS DA SÍNDROME DE HAVANA
– Dores de cabeça;
– Tontura;
– Dificuldades cognitivas;
– Zumbido no ouvido;
– Vertigem;
– Dificuldades na visão, na audição ou no equilíbrio; e
– Lesões cerebrais traumáticas (mais raro).

Leia também1 Papa diz que aborto é homicídio: "Não é lícito ser cúmplice"
2 OMS: Descoberta da origem da Covid poderá ter 'última chance'
3 Rio Grande do Sul enfrenta forte surto de doença diarreica aguda
4 Incêndio em prédio em Taiwan deixa 46 mortos e 41 feridos
5 ONU faz 'vista grossa' e não deve enviar missão eleitoral à Venezuela

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.