Leia também:
X Fiocruz prevê primeiras doses da vacina de Oxford para fevereiro

China libera vacina da Sinopharm para uso em massa

País concedeu aval emergencial para imunizante com 79% de eficácia

Pleno.News - 31/12/2020 08h38 | atualizado em 31/12/2020 08h40

Vacina da Sinopharm recebe aval da China para uso emergencial Foto: Reprodução

A Administração Nacional de Produtos Médicos da China, o principal regulador de medicamentos do país, concedeu, na noite da quarta-feira (30), autorização provisória para uma vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela estatal Sinopharm. Com isso, o imunizante poderá ser usado em massa, cerca de um ano após a pandemia começar a surgir no Centro do país.

O regulador aprovou a vacina, disse nesta quinta-feira (31) o vice-comissário do regulador, Chen Shifei.

Na quarta-feira, a Sinopharm afirmou que sua vacina teve eficácia de 79% na proteção contra a Covid-19 na fase 3 de ensaios clínicos no exterior.

A vacina e outras duas feitas no país já haviam recebido apenas autorização para uso emergencial na China. Pequim permitiu isso para vacinas que ainda não tinham concluído os testes clínicos, quando considerou urgente ajudar com a emergência pública de saúde.

O novo aval dado à Sinopharm agora é o primeiro a permitir um uso mais amplo de uma vacina contra a Covid-19 no país.

A Sinopharm já começou a produzir em massa a vacina, informou o governo chinês na quinta-feira. O regulador disse que estará atento à empresa, a fim de garantir que ela realize o restante dos ensaios clínicos de fase 3 como planejado.

*Estadão

Leia também1 Fiocruz prevê primeiras doses da vacina de Oxford para fevereiro
2 Alemanha prepara operação contra festas de Ano-Novo
3 Reino Unido impõe quarentena nacional nesta quinta-feira
4 Gestão Doria diz que já comprou 71 milhões de seringas e agulhas
5 Após recusar pedidos do STF e STJ, Fiocruz nega vacinas ao TST

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.