Leia também:
X Após 3 semanas, causa da morte da rainha Elizabeth é divulgada

Cantora famosa deixa Rússia após criticar invasão da Ucrânia

Alla Pugacheva pediu o "fim das mortes para fins ilusórios"

Pleno.News - 29/09/2022 13h33 | atualizado em 29/09/2022 13h52

Alla Pugacheva Foto: Reprodução / Youtube

A lendária cantora russa Alla Pugacheva deixou o país depois de criticar a campanha militar da Rússia na Ucrânia, de acordo com informações da imprensa local. Segundo o jornal Izvestia, Pugacheva, conhecida como a “prima donna” da música popular russa, viajou para Tel-Aviv junto com seus filhos pequenos. A cantora não comprou passagem de volta, destacou o jornal.

Alla Pugacheva causou polêmica dias atrás ao criticar a campanha militar russa na Ucrânia e pedir que ela fosse declarada “agente estrangeira” em solidariedade ao marido, o comediante Maxim Galkin.

– Peço para ser declarada agente estrangeiro do meu querido país, porque me solidarizo com meu marido, um homem honesto, franco e sincero, um verdadeiro e incorruptível patriota da Rússia – escreveu Pugacheva no Instagram.

Segundo a artista, seu marido deseja apenas o bem da Rússia.

– Ele quer bem-estar, liberdade de expressão, uma vida pacífica e o fim das mortes de nossos filhos para fins ilusórios – disse ela.

De acordo com Pugacheva, esses objetivos, que as autoridades estabeleceram com o início da campanha de guerra, tornam a Rússia um “pária” e complicam a vida dos cidadãos. Galkin, declarado “agente estrangeiro” neste mês de setembro, está em Israel desde o início da ofensiva russa na Ucrânia.

As palavras da cantora geraram rebuliço nos círculos políticos e artísticos, mas foram saudadas por milhares de admiradores da artista, a julgar pelas reações à sua declaração no Instagram.

LEONID GOZMAN
Nesta quinta-feira (29), surgiu a informação de que o opositor russo Leonid Gozman, crítico da campanha militar russa na Ucrânia, deixou o país.

Gozman, de 72 anos, presidente do movimento liberal União das Forças de Direita, foi detido duas vezes por comparar o líder soviético Josef Stalin ao alemão Adolf Hitler em uma mensagem no Facebook.

No total, ele passou 30 dias na cadeia e foi solto ontem, quando tomou a decisão de deixar a Rússia, segundo sua filha. Mais tarde, o político confirmou nas redes sociais que já estava no aeroporto para apanhar um avião, sem especificar o destino do voo.

*EFE

Leia também1 Putin deve proclamar anexação do território da Ucrânia
2 Brasileiro Jarbas Barbosa é eleito novo diretor da Opas
3 Após 3 semanas, causa da morte da rainha Elizabeth é divulgada
4 Furacão Ian inunda sudoeste da Flórida e deixa pessoas presas
5 Ortega, ditador da Nicarágua, chama Igreja de "ditadura"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.