Leia também:
X Morre o médico que inspirou Trump a adotar o “Kit Covid”

Brasileiro que foi para guerra na Ucrânia morre em bombardeio

Família diz que Douglas Rodrigues Búrigo foi ao país europeu para ajuda humanitária

Paulo Moura - 03/07/2022 14h52 | atualizado em 03/07/2022 16h44

Douglas Búrigo é mais um brasileiro a morrer na Ucrânia Foto: Arquivo Pessoal

O brasileiro Douglas Rodrigues Búrigo, de 40 anos, que viajou para a Ucrânia em maio deste ano com o objetivo de realizar serviço humanitário no país que está em guerra contra a Rússia, morreu vítima de um bombardeio na região ucraniana de Kharkiv. O pai de Douglas, Pedro Búrigo, informou que a notícia foi repassada por um comandante.

– Pedem que a gente entre em contato com o Itamaraty para saber bem o que deve ser feito. A gente tá ainda pesquisando, estamos em choque – disse Pedro, ao portal G1.

Segundo o deputado estadual Carlos Búrigo (MDB), que é primo de Douglas, a Embaixada do Brasil na Ucrânia confirmou o falecimento. No entanto, a representação diplomática afirmou que ainda precisa receber os documentos e demais dados oficiais do país europeu para repassar ao Itamaraty.

O pai de Douglas informou que o filho deixou a cidade gaúcha de São José dos Ausente no dia 22 de maio, quando foi até Vacaria, também no Rio Grande do Sul e, de lá, foi de ônibus para São Paulo. Dois dias depois, ele embarcou para a Polônia, de onde foi para a Ucrânia. Segundo Pedro, os familiares se comunicavam com Douglas por WhatsApp.

– Quase todo dia a gente se comunicava. Ele estava com o telefone, comprou um chip europeu e falava todo dia – lembra.

O último contato com Douglas foi feito na última terça-feira (28), quando o brasileiro informou que iria para a linha de frente de uma batalha e não teria sinal para utilizar o telefone. De acordo com o pai, o objetivo de Douglas não era participar da batalha, mas auxiliar a população em serviços humanitários.

– Ele foi, a princípio, para serviço humanitário. A ideia dele era chegar lá e fazer serviço humanitário. Era o sonho dele ajudar, mas acho que depois deu errado e foi direto para a linha de frente, e o mais errado aconteceu – ressalta.

Douglas serviu ao Exército, em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, por quatro anos. Após esse período, ele passou a trabalhar com transporte de cargas, com o pai, e morou em várias cidades do Norte e Nordeste do país.

O ex-militar é o segundo brasileiro a morrer em razão do embate no território ucraniano. No dia 9 de junho, o Itamaraty confirmou a morte de André Luís Hack Bahi, de 44 anos. A confirmação foi publicada quatro dias depois de soldados voluntários relatarem o falecimento.

Leia também1 PT nega montagem em foto de ato na BA: 'Erro da panorâmica'
2 Filho do governador Ronaldo Caiado morre em Goiás
3 Paraná Pesquisas: Bolsonaro lidera disputa ao Planalto em SP
4 Fórmula 1: Zhou sofre acidente assustador na largada do GP
5 Presidente de Portugal e Lula se encontram em São Paulo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.