Leia também:
X EUA não recomendarão máscara a vacinados, apesar da variante Delta

Gates acreditava que diversidade iria destruir Microsoft, diz site

Magnata também costumava gritar com funcionários, revela site

Pleno.News - 30/06/2021 17h02 | atualizado em 30/06/2021 18h24

O bilionário já desembolsou cerca de 600 milhões à filantropia
O bilionário já destinou cerca de 600 milhões à filantropia Foto: Reprodução

Além de sair com a imagem arranhada do divórcio com Melinda French Gates, agora começam a surgir depoimentos de que Bill Gates também não era um chefe muito agradável em seus tempos na Microsoft. Segundo o site americano Business Insiders, ele não só gritava com seus funcionários como dizia que iniciativas para aumentar a diversidade na companhia iriam “destruir” a empresa.

No site, algumas das fontes que relataram o comportamento de Gates pediram para não serem identificadas, mas Maria Klawe, uma ex-membro da diretoria da Microsoft, afirmou abertamente que o empresário não era receptivo em relação às afirmações de diversidade que, na maioria das vezes, partiam de funcionárias da empresa.

– A mensagem era: “Preocupar-se com a diversidade não tem nada a ver com o sucesso da Microsoft” – afirmou Maria ao Business Insider, acrescentando que o assunto era recebido por Gates com frases como “você está tentando destruir a empresa?”.

Nesta quarta-feira (30), a Fundação Bill e Melinda Gates — que segue na busca de outros conselheiros para a sua diretoria após a saída de Warren Buffet — anunciou um fundo de US$ 2,1 bilhões (R$ 10,4 bilhões) destinado a ações para igualdade de gênero. O fundo é conduzido principalmente por Melinda, que passou a movimentar-se em prol da causa há alguns anos.

– O mundo luta pela igualdade de gênero há décadas, mas o progresso tem sido lento. Agora é a chance de reacender um movimento e entregar uma mudança real – disse Melinda em um comunicado.

FUNCIONÁRIOS OUVIAM GRITOS DE REPROVAÇÃO
Outros funcionários que não quiseram se identificar afirmaram ao Business Insider que era comum ouvirem gritos de reprovação de Gates sempre que uma reunião era convocada.

– Ter uma reunião com Bill era apenas uma oportunidade para que ele gritasse comigo, então eu tentava evitar isso – afirmou uma das funcionárias.

Um outro ex-Microsoft afirmou que, constantemente, Gates decorava as placas dos carros dos funcionários para mantê-los sob controle, mas não explicou de que forma o dono da empresa utilizava a informação.

Além disso, empregados da gigante de tecnologia afirmaram ao site que a frase “essa é a ideia mais estúpida que já ouvi” virou uma espécie de bordão de Gates pela frequência com que a repetia em seus escritórios.

Um porta-voz do bilionário negou todas as afirmações e disse que os depoimentos foram distorcidos pelos ex-funcionários.

Bill Gates ainda foi descrito, pelos ex-funcionários que não quiseram se identificar, como “um ser humano estranho no que diz respeito às interações sociais” e como alguém que “não sabe realmente brincar ou como se conectar com as pessoas”.

Em 2019, o fundador da Microsoft foi alvo de uma investigação interna na empresa por um suposto relacionamento com uma funcionária nos anos 2000. Gates deixou as funções na companhia pouco tempo depois. Na época, a Microsoft chegou a pedir o afastamento do bilionário durante a investigação, mas um porta-voz afirmou que esse não foi o motivo da saída de Gates da empresa.

*AE

Leia também1 Atriz de Smallville é condenada por participar de seita sexual
2 Justin Bieber dispensa fãs: "Não gosto de vocês aqui"
3 Kim Jong-Un admite crise na Saúde, mas culpa funcionários
4 Harry e William tiveram briga 'feroz' no funeral do avô, diz site
5 Internet 5G impulsionará Brasil em áreas estratégicas, diz Faria

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.