Leia também:
X Bolsonaro elogia Pazuello e diz que ele sai nesta sexta-feira

Alemanha e França retomam vacinação com AstraZeneca

Apesar da decisão, a entidade alemã afirma que ainda há alguns estudos que reconhecem potenciais coágulos sanguíneos

Pleno.News - 19/03/2021 12h17 | atualizado em 19/03/2021 12h51

Noruega e Suécia relatam mortes após aplicação da vacina de Oxford/AstraZeneca Foto: EFE/Toms Kalnins

A comissão de vacinas da Alemanha e a França afirmou que a vacina da Oxford/AstraZeneca pode ser utilizada novamente nos países. Segundo a entidade alemã, apesar da decisão, ainda há alguns estudos que reconhecem potenciais coágulos sanguíneos.

A medida tomada pelo Stiko, no entanto, foi seguida de um questionamento por toda a comunidade europeia. Na avaliação deles, em que medida esse “drama”, gerado em torno da vacina da AstraZeneca, “era para ser uma declaração política na tentativa de se vingar da AstraZeneca em meio à disputa da empresa com a União Europeia”, após atrasos na entrega das vacinas pela farmacêutica?

O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, afirmou que a reintrodução deve ser feita com “prudência, com médicos informados e cidadãos devidamente educados”.

Ainda com a retomada do imunizante, o ministro alertou que não há vacina suficiente na Europa para conter a terceira onda da Covid-19.

O número de casos tem aumentado na Alemanha, impulsionado pela flexibilização das restrições nas últimas semanas e pela disseminação das novas cepas. Na avaliação de Spahn, a vacinação por si só não seria capaz de conter a infecção, pois não há doses suficientes e as restrições que foram suspensas podem ter que ser reimpostas para conter a propagação do vírus.

– O número crescente de casos pode significar que não podemos dar mais passos iniciais nas próximas semanas. Pelo contrário, podemos até ter que retroceder – declarou Spahn.

Os líderes estaduais alemães também devem discutir com a chanceler Angela Merkel ainda nesta sexta-feira (19) formas de acelerar a campanha de vacinação, a exemplo de permitir que os médicos de família comecem a administrar doses em suas cirurgias. Eles ainda afirmaram que “estão prontos” para recuperar o tempo perdido rapidamente.

Na última atualização, o país relatou 17.482 novos casos de Covid-19 e 226 mortes pela doença em 24 horas; o aumento de infecções foi registrado pelo segundo dia consecutivo.

*Estadão

Leia também1 Bolsonaro elogia Pazuello e diz que ele sai nesta sexta-feira
2 Portugal diz que voltará a aplicar vacina da AstraZeneca
3 Noruega e Suécia relatam mais mortes após vacina de Oxford
4 Moderna inicia testes de vacina contra Covid em bebês e crianças
5 Contra Covid-19, França fecha comércio e limita deslocamentos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.