Admirada pela esquerda, Cuba reprime manifestação LGBT

Em décadas, este foi o primeiro protesto não-autorizado a tomar as ruas

Pleno.News - 13/05/2019 20h56

Pela primeira vez em décadas, a população LGBT de Cuba saiu às ruas em uma passeata não-autorizada pelo governo. A manifestação, que aconteceu no último sábado (11), em Havana, foi brutalmente reprimida pelo polícia.

Pelo menos quatro pessoas foram presas e outras ficaram feridas.

Recentemente, o governo cubano cancelou a tradicional “conga” contra a homofobia, uma espécie manifestação autorizada. A justificativa foi a crise econômica no país.

No entanto, organizadores da parada LGBT afirmaram que o governo investiu em outros eventos ainda mais caros do que a passeata, como o Dia do Trabalhador.

– Não entendemos por que em um dia se cancelou algo que foi uma conquista, que foi parte de nós durante todo este tempo. Exigimos fazer a passeata, que as garantias sejam respeitadas – disse uma porta-voz da organização do evento.

*Com informações da Agência EFE.

LEIA TAMBÉM+ Integrante do MBL é agredido durante homenagem à Cuba
+ Bolsonaro ataca socialismo: 'É para uma minoria de espertos'
+ Milhares de venezuelanos voltam a entrar no Brasil


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo