Leia também:
X Correios homenageiam Gisele Bündchen em novo selo

Mercado de segunda mão é a tendência mais forte da moda

Ultrapassando o Fast Fashion, o Second Hand se destaca no cenário atual

Pleno.News - 12/01/2021 18h43 | atualizado em 13/01/2021 14h10

O usado é o novo “novo”? Mercado de segunda mão é a tendência mais forte da moda Foto: Pexels

O universo fashion passa por constantes revoluções ao longo do anos, e dessa vez não é diferente. Esse mercado está sendo altamente sacudido pela nova tendência que está mais em voga do que nunca: roupas de segunda mão.

Pesquisas apontam que o mercado de roupas de segunda mão dos EUA está projetando para mais do que triplicar de valor nos próximos 10 anos, passando de 28 bilhões de dólares em 2019 para 80 bilhões em 2029. No ano passado, as roupas de segunda mão expandiram 21 vezes mais rápido do que o comércio de roupas convencional.

No Brasil, o fenômeno também provou sua aceitação no mercado e já é aposta inclusive de grandes players, como o grupo Arezzo. A companhia já havia informado seu interesse nesse mercado, considerando que os calçados usados da Arezzo são comumente encontrados em sites de recommerce, como estão sendo chamados.

Carol Esteve, fundadora e CEO da Buy My Dress Foto: Divulgação

Fundadora e CEO da Buy My Dress, primeira plataforma de compra e venda de vestidos second hand do Brasil, Carol Esteve está animada com a projeção dos próximos 5 anos.

– Pesquisas apontam que o mercado de segunda mão vai crescer 5x mais. Estamos em uma fase de quebra de tabus. Mas cada vez mais, é notável o impacto positivo tanto sustentável quanto financeiro desse tipo de consumo. A pandemia mudou o comportamento dos consumidores, as pessoas estão atentas ao uso dos nossos recursos naturais, e a moda é um dos que mais fazem utilização deles – explicou a empresária.

A fabricação de novas roupas aumenta a emissão de CO2, além de deixar cada vez mais escassas as matérias-primas retiradas do meio ambiente.

– Aos poucos, o second hand vai conquistando um espaço importante no mercado. Ao dar uma nova chance àquele vestido que está parado no guarda-roupa, conseguimos diminuir muito o impacto no meio ambiente – finalizou Carol.

Leia também1 Por acaso, é pecado um cristão fazer uma tatuagem?
2 Correios homenageiam Gisele Bündchen em novo selo
3 Aos 98 anos, morre o estilista ítalo-francês Pierre Cardin
4 Bolsonaro e Michelle relembram trajes usados na posse
5 Raro diamante rosa é vendido por R$ 145 milhões em leilão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.