Leia também:
X Culto da 93 FM tem Viva Adoração, Vaneyse e Beatriz

Sayão fala sobre erros comuns na interpretação da Bíblia

Um dos mais famosos é "tudo posso Naquele que me fortalece"

Camille Dornelles - 02/10/2018 11h40 | atualizado em 02/10/2018 13h08

O pastor Luiz Sayão falou sobre erros comuns na interpretação da Bíblia Foto: Pleno.News/Salvi Cruz

Durante a 14ª Expo Cristã, o pastor e linguista Luiz Sayão declarou que muitos cristãos erram a interpretação de várias passagens bíblicas. As afirmações foram feitas durante um talk show no stand do Pleno.News na 14ª Expo Cristã.

Para o hebraísta, o Salmo 91 é “talvez o maior equívoco”, porque é usado como um “amuleto” dos cristãos.

– É tido como o salmo da sorte. Mas é o salmo com o qual o Diabo tentou Jesus. [A passagem] não traz sorte de uma maneira mística senão Satanás nunca teria usado este salmo no deserto. Esse modo de encarar causa confusão, equívoco e complicação para a vida de muita gente – alertou.

– Talvez um que mais mexe com a cabeça das pessoas talvez seja o de Atos 16:31 (“E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa”). A pessoa lê e acredita que toda a sua família será convertida porque ele está em Deus. Mas é lógico que não é isso porque aí bastaria uma pessoa da família se converter – explicou.

Ele também falou do versículo de Filipenses 4:13 (“Posso todas as coisas naquele que me fortalece”).

– Tem gente que entende poder fazer qualquer coisa que Deus vai dar um jeito. Mas Paulo escreveu quando estava preso. Ele estava dizendo que pode enfrentar qualquer situação sem perder a fé. Não quer dizer que você pode fazer qualquer coisa maluca – afirmou.

Leia também1 Especialistas esclarecem o contexto da profecia de Isaías
2 Fotos! Confira as atrações do último dia de Expo Cristã
3 Expo Cristã abre com presença de pastores, políticos e música

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.