Leia também:
X À Prova de Fogo: Livro baseado em filme chega à MK Books

Pastor sofre ataque e sobrevive após ser baleado no peito

Motivos do ataque ainda são desconhecidos; polícia investiga

Monique Mello - 14/07/2022 16h42 | atualizado em 14/07/2022 17h46

Pastor Fernando Tambunan Foto: Portas Abertas

O pastor Fernando Tambunan foi baleado no peito e levado às pressas para o hospital. Ele sobreviveu ao ataque, mas os motivos do disparo e os agressores ainda são desconhecidos. O pastor lidera uma igreja no norte de Sumatra, uma ilha da Indonésia.

Há duas semanas, em 27 de junho, Fernando estava descansando no terraço de casa quando o ataque aconteceu. Poucos minutos após o disparo, a esposa do pastor o encontrou mancando e dizendo que tinha sido baleado. O líder cristão apertava o peito onde a bala entrou, coberto de sangue.

De acordo com o chefe do departamento de investigações da polícia, Kompol Cahyadi, os vizinhos não ouviram o tiro. A polícia está aguardando a avaliação dos legistas quanto ao tipo e calibre da arma usada.

Suparno, o chefe da polícia, alegou que o pastor Fernando morava na vila há apenas seis meses e por isso não acredita que o motivo do disparo foi religioso.

– Sim, ele é um pastor, mas está em nossa vila há apenas seis meses – relatou.

O estado clínico do pastor é estável e ele já consegue falar. De acordo com a família do líder cristão, eles não têm conflitos com nenhum vizinho.

PERSEGUIÇÃO A INDONÉSIA
A perseguição aos cristãos na Indonésia tem piorado nos últimos anos. Houve três ataques aos cristãos em um intervalo de seis meses entre 2020 e 2021, matando oito cristãos. A sociedade indonésia tem assumido um caráter islâmico mais conservador, colocando ainda mais pressão nos cristãos.

Muitos cristãos ex-muçulmanos experimentam pressão das famílias para voltarem ao Islamismo, embora a intensidade da pressão varie de acordo com o lugar e a família do indivíduo. Apenas alguns convertidos enfrentam violência física pela fé cristã. Também há convertidos do Hinduísmo em Bali.

Igrejas engajadas em trabalhos evangelísticos correm o risco de ser alvo de grupos extremistas islâmicos. Há certos locais, como Java Ocidental e Aceh, onde grupos extremistas são fortes e exercem uma forte influência na sociedade e na política.

Em algumas regiões, grupos de igrejas enfrentam dificuldades em conseguir permissão para construir templos. Mesmo se eles trabalharem para conseguir todos os requisitos legais (incluindo vencer casos judiciais), as autoridades locais muitas vezes os ignoram.

Depois de dois anos sem bombardeios, ataques suicidas ocorreram em uma igreja em Makassar, em março de 2021; felizmente, ninguém foi morto. Entretanto, oito cristãos foram mortos em dois ataques em Sulawesi Central em novembro de 2020 e maio de 2021. O grupo terrorista Mujahideen da Indonésia Oriental — que tem ligação com o Estado Islâmico — é o responsável pelos ataques.

O país ocupa o 28º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2022, que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos no mundo.

A Portas Abertas tem trabalhado por meio de parceiros locais que apoiam os cristãos perseguidos na Indonésia com treinamento de preparação para perseguição e discipulado, distribuição de Bíblias e literatura cristã, projetos de desenvolvimento socioeconômico, ajuda emergencial, assessoria jurídica a cristãos presos injustamente e encontros entre diferentes igrejas.

Leia também1 Beni, esposa do pr. Bill Johnson, morre após luta contra o câncer
2 No Oriente Médio, Biden não aperta mão para prevenir Covid
3 À Prova de Fogo: Livro baseado em filme chega à MK Books
4 Ator é interrompido por esposa por dar entrevista sem máscara
5 Vídeo: Piloto iniciante faz pouso de emergência em rodovia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.