Leia também:
X Ex-bruxa da Cracolândia se prepara para concluir graduação em Missões

Papa Francisco critica o aborto: “Não é só uma questão religiosa”

Líder da Igreja Católica se posicionou contra proposta sobre o tema na Argentina

Pleno.News - 26/11/2020 14h49 | atualizado em 26/11/2020 17h13

Papa Francisco Foto: Reprodução

Em uma carta enviada à deputada argentina Victoria Morales Gorleri (PRO), o papa Francisco se manifestou contrário à aprovação do aborto na Argentina. De acordo com ele, o tema em questão não “é um assunto primariamente religioso, mas de ética humana”.

A manifestação ocorreu após o presidente argentino, Alberto Fernandez, enviar ao Congresso um projeto para a legalização do aborto em todo o país. A medida, caso aprovada, permitirá que o procedimento seja realizado até a 14ª semana de gestação.

Após a medida, a Victoria Morales Gorleri enviou um documento ao papa representando mulheres do movimento “Onda Celeste”, que se posiciona contra o aborto. O pontífice então respondeu e disse que o aborto é “anterior a qualquer confissão religiosa” e elogiou o movimento ao ressaltar que a “pátria está orgulhosa de ter mulheres assim”.

Leia a resposta completa do papa Francisco:

A pátria está orgulhosa de ter mulheres assim. E sobre o problema do aborto, ter presente que não é um assunto primariamente religioso, mas de ética humana, anterior a qualquer confissão religiosa. E faz bem fazer-se duas perguntas: É justo eliminar uma vida humana para resolver um problema? É justo contratar um assassino para resolver um problema?.

Leia também1 Damares critica iniciativa da Argentina de legalizar o aborto
2 Fernández envia projeto para legalizar aborto na Argentina
3 Em plano de governo, Biden visa financiar iniciativas pró-aborto
4 Em decreto, governo federal reforça conduta contra o aborto
5 Brasil se alia aos EUA em acordo contra o aborto e pela família

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.