Leia também:
X Anônima, mas perseverante

“O crente precisa rever as prioridades do Evangelho”

Priscilla Alcantara comentou atitude de grupo cristão que tentou impedir aborto de menina estuprada pelo tio

Rafael Ramos - 17/08/2020 10h11 | atualizado em 17/08/2020 13h08

Priscilla Alcantara pediu que os crentes revejam a prioridade do Evangelho Foto: Reprodução

A cantora Priscilla Alcantara usou o Twitter, neste domingo (16), para se pronunciar diante da repercussão do estupro da menina de 10 anos, que engravidou após uma série de estupros cometido por um tio de 33 anos. A menor foi encaminhada para um hospital em Pernambuco, onde realizou um procedimento para interromper a gestação.

Entretanto, a identidade da garota e o local onde o aborto foi realizado foi divulgado nas redes sociais pela ativista Sara Winter. Com isso, um grupo de cristãos – incluindo representantes do poder público – invadiu o local na tentativa de interromper o procedimento.

A atitude do grupo fez o termo “crentes” figurasse entre os assuntos mais comentados no Twitter. A maioria dos posts foi de críticas ao segmento religioso, algo que Priscilla Alcantara classificou como fanatismo religioso. A cantora ainda alertou que pensamentos assim podem até matar.

– Mano, está tudo errado! O crente (incluindo eu) precisa urgentemente rever as prioridades do Evangelho. Meu ímpeto não pode matar a minha sabedoria, mas eu juro que vou dar a minha vida para que Cristo e o amor sejam representados devidamente. Eu juro! E quando eu estiver fazendo merda, que esse mesmo Cristo me repreenda.

 

 

Leia também1 "A violência do aborto é tão terrível quanto a do estupro"
2 Saiba quem é o médico que fez o aborto em menina estuprada
3 "O crente precisa rever as prioridades do Evangelho"
4 Médicos realizam aborto em menina estuprada pelo tio
5 Grupo vai a hospital impedir aborto em menina estuprada

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.