Leia também:
X ‘Gugu sempre ficou do meu lado nas brigas’, diz Luiza Ambiel

Nova série coreana da Netflix ataca religião, aponta canal

Profecia do Inferno tem seis episódios em sua primeira temporada

Pleno.News - 21/11/2021 21h41 | atualizado em 22/11/2021 09h42

Profecia do Inferno Foto: Reprodução/YouTube/Netflix

Após o sucesso de Round 6, a Netflix lançou outra série da Coreia do Sul: Profecia do Inferno. O novo projeto é do diretor Yeon Sang-ho (Invasão Zumbi, 2016) e tem seis episódios na primeira temporada.

De acordo com informações do canal Splash, do UOL, na série, provas da existência do inferno aparecem em Seul, capital da Coreia do Sul, quando seres místicos surgem diante de uma multidão. Ainda segundo o canal, a nova série de terror tem como alvo específico a religião.

Os tais seres místicos “são capazes de condenar as pessoas à punição eterna, e os condenados são mortos de forma brutal”, explica o Splash. Na trama, surge um grupo religioso chamado A Nova Verdade, liderado por Jung Jinsu (Yoo Ah-in), que afirma que somente os pecadores serão punido e que isso é a vontade divina.

– É então que alguns dos religiosos resolvem punir com as próprias mãos quem discorda do que seria esta verdade divina transformando o mundo inteiro em caos. Através do gênero de fantasia, a série promove alguns exageros propositais que deixam mais clara a provocação que pretende fazer: criticar o fanatismo religioso e apontar como ele pode servir para o oposto do que deveria ser o objetivo junto aos fiéis – aponta o canal do UOL.

Leia também1 Diretor de Round 6, da Netflix, confirma 2ª temporada
2 Jovem fica gravemente ferido após tentar imitar Round 6
3 Vereadores em SC pedem que Netflix retire Round 6 do ar
4 Escolas de NY proíbem fantasias de 'Round 6' no Halloween
5 Pais alertam sobre série infantil que mostra decapitação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.