Leia também:
X Cantora cristã é criticada por apoiar casamento lésbico

Jovens voluntários partem para missão humanitária na África

A ONG CACEMAR leva serviços de saúde e alfabetização para crianças e adultos de Burkina Faso

Leiliane Lopes - 26/12/2022 20h17 | atualizado em 27/12/2022 11h40

Voluntários da ONG CACEMAR 2022 Foto: Divulgação

Onze jovens brasileiros embarcaram no dia 20 de dezembro para Burkina Faso, na África, como voluntários da ONG cristã Centro de Acolhimento Casa Esperança e Missão Refúgio (CACEMAR) para fazer um trabalho humanitário em um dos 20 países mais pobres do mundo.

O grupo formado por jovens missionários do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e também da Bolívia ficará no local por 20 dias, oferecendo atendimento de saúde, alfabetização, alimentação e recreação, incluindo música e dança, para centenas de burquinenses, na base da CACEMAR e em aldeias de Burkina Faso.

Os voluntários estão levando materiais pedagógicos de alfabetização e instrumentos musicais (flautas doces e sininhos) que farão parte das atividades que eles desenvolverão com os moradores daquele país.

Esta é a quarta edição do Let’s go to Africa, um projeto que visa desenvolver ações de inclusão e justiça social com os garibous, meninos escravizados pela cultura islâmica, e mulheres em situação de extrema pobreza.

– Retornamos a Burkina com um grupo muito bom, atendendo a área de saúde e outras também. É a mão de Deus colocando pessoas com grande potencial no projeto – afirmou o diretor da CACEMAR, Jefferson da Silva.

MENINOS ESCRAVOS
Um dos trabalhos feitos pela ONG tem como público-alvo os meninos garibous, que são crianças de 5 a 17 anos que são levadas por suas famílias para escolas islâmicas onde eles vivem em condições análogas à escravidão.

A rotina de estudos do Alcorão é puxada e os alunos que não conseguem decorar os versos sagrados para o Islã sofrem castigos e torturas.

Entre as torturas está mendigar moedas para os mestres, chamados de marabous, precisando andar por quilômetros para encontrar esmolas e voltar à escola com o dinheiro arrecadado.

A ONG possui o Centro de Acolhimento Casa Esperança, que recebe cerca de 300 meninos garibous toda semana. Durante três vezes na semana, eles recebem café da manhã, e duas vezes ao mês é servido um almoço.

A Casa Esperança conta também com atendimento ambulatorial para atender os meninos que, por muitas vezes, chegam com ferimentos, e com um espaço de recreação e descanso para que possam ser crianças de verdade.

A CACEMAR também possui um segundo espaço chamado Casa Refúgio, onde são abrigados meninos garibous que pedem asilo. Essas crianças são acolhidas e passam a morar na casa, recebendo educação, alimentação, refúgio e carinho.

Leia também1 Cazarré reafirma seus valores e explica seriedade no Huck
2 Em noite especial, cantor Arthur Callazans grava novo álbum
3 Bruna Karla tem livramento: 'A casa teria explodido com a gente'
4 Ex-líder global da Hillsong diz que seu pai era pedófilo
5 Câmara deve votar hoje projeto sobre livre exercício de crença

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.