Leia também:
X Economia chinesa é a única que cresce durante a pandemia

Mianmar: Cristãos perseguidos são presos durante culto

Culto acontecia numa Igreja Batista que foi invadida pela Polícia Militar

Monique Mello - 12/03/2021 12h05 | atualizado em 12/03/2021 12h40

Protestos no Mianmar após golpe militar que tornou a vida dos cristãos ainda mais difícil
Protestos no Mianmar após golpe militar que tornou a vida dos cristãos ainda mais difícil Foto: Reprodução/Portas Abertas

Em 28 de fevereiro, a polícia invadiu uma igreja Batista em Lashio, uma cidade no norte do estado de Shan, e prendeu pelo menos 10 pessoas, incluindo quatro pastores. Cerca de 30 oficiais invadiram a igreja.

– Eles espancaram manifestantes e não manifestantes e, depois, derrubaram o portão da igreja com um tanque. Eles arrombaram as portas e bateram violentamente na liderança e em membros da igreja – disse um dos líderes da igreja, durante entrevista a um site de notícias local.

Como em muitos lugares em Mianmar, as pessoas em Lashio também saíram às ruas para protestar contra o regime militar. Quando a polícia tentou dispersar a multidão com gás lacrimogêneo, alguns manifestantes buscaram abrigo na igreja.

Dois dias depois, em 3 de março, o secretário-geral da Baptist World Aid, Elijah Brown, disse que os membros da igreja que foram presos já foram liberados.

– Enquanto notamos, com gratidão, que eles foram libertados, continuamos a pedir orações por eles e por suas famílias enquanto processam o que parece ser uma prisão injusta – disse Brown.

– Também continuamos a apelar ao governo de Mianmar para que respeite todos os cristãos e todas as etnias em Mianmar e para impedir as detenções seletivas que prejudicam famílias e minam a paz da comunidade – completou.

O diretor de comunicações do Portas Abertas para a Ásia, Jan Vermeer, diz que tanto os militares quanto os manifestantes não mostram nenhum sinal de recuo.

– À medida que aumenta a instabilidade em Mianmar, aumenta também a nossa necessidade de orar. Com a violência crescente, os crentes continuam presos no meio, e estamos preocupados com sua segurança – comentou.

O estado de Shan, assim como seu vizinho ao norte, o estado de Kachin, tem uma população cristã significativa que sofreu durante anos de combates entre grupos armados étnicos e o exército.

Grupos de insurgência são conhecidos por fechar igrejas e deter civis, incluindo pastores e alunos de escolas bíblicas. O mesmo acontece aos cristãos que vivem em um dos outros estados predominantemente cristãos de Mianmar, o estado de Karen, no sul, também conhecido como Kayin.

Em fevereiro, as forças armadas de Mianmar bloquearam a ajuda destinada a 200 aldeões deslocados pelos recentes combates entre os combatentes da independência Karen e o exército. O golpe de fevereiro não mudou a dinâmica de um conflito que foi descrito como uma das guerras civis mais duradouras do mundo.

O Mianmar está na posição 18 da Lista Mundial da Perseguição 2021, que classifica os 50 países mais hostis ao cristianismo no mundo.

Leia também1 ONU acusa Venezuela de mais de 200 assassinatos em 6 meses
2 Venezuela: Cristãos recebem alta após ataque e líder presta queixa
3 Presidente de Cuba comemora anulação de condenações de Lula
4 Colômbia: Indígenas cristãos são forçados a renunciar à fé
5 Conheça 5 conservadores que já foram censurados na web

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.