Leia também:
X Crescimento Sistêmico fala sobre desenvolvimento humano

Juiz decide contra confeiteiro cristão que rejeitou bolo trans

Defesa de Jack Phillips irá recorrer da decisão

Pleno.News - 17/06/2021 20h17

Jack Phillips Foto: Masterpiece Cakeshop

Nos EUA, o juiz A. Bruce Jones, do Tribunal Distrital de Denver, no Colorado, decretou uma sentença contra o confeiteiro cristão Jack Phillips, que não quis fazer um bolo de aniversário transgênero (rosa e azul). O magistrado decidiu, na terça-feira (13) que Phillips violou a lei estadual de anti-discriminação do estado quando recusou uma encomenda feita por Autumm Scardina.

De acordo com o juiz, o confeiteiro praticou discriminação ilegal ao negar “bens e serviços” por conta do “status transgêro” de Scardina. Ele ressaltou que a esposa de Jack tinha concordado em fazer um bolo rosa com glacê azul, mas o pedido foi rejeitado quando o cliente revelou o motivo de ter escolhido as cores.

– Os réus admitem que estavam dispostos a fazer o bolo solicitado até que a Sra. Scardina identificou que escolheu as cores para refletir e celebrar sua identidade como mulher trans – destacou Jones.

Segundo a CNB News, o juiz disse que o confeiteiro deve fazer um bolo transgênero.

A defesa de Phillips já anunciou que irá recorrer da decisão.

– Ativistas radicais e oficiais do governo estão mirando em artistas como Jack porque eles não promovem mensagens sobre casamento e sexualidade que violem suas convicções básicas – apontou Kristen Wagoner, conselheira geral do grupo Alliance Defending Freedom (ADF), que representa Jack.

Leia também1 Confeiteiro volta ao tribunal por não fazer 'bolo transgênero'
2 Ativista LGBT insiste em processar confeiteiro cristão
3 Confeiteiro que negou bolo a trans se sente perseguido
4 Confeiteiro é processado de novo por negar bolo a trans
5 Confeiteiro que negou bolo a gays tem 3 vezes mais clientes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.