Leia também:
X Cantora Amanda Wanessa já respira sem ajuda de aparelhos

Fotógrafo luta contra lei que o obriga a cobrir casamentos gays

Bob Updegrove é cristão e não quer trabalhos que divergem de seus princípios

Pleno.News - 21/01/2021 18h40 | atualizado em 22/01/2021 10h03

Fotógrafo Bob Updegrove Foto: Reprodução

No estado americano da Virgínia, um fotógrafo cristão apresentou uma ação para contestar uma nova lei que o obriga a fotografar a união de pessoas do mesmo sexo. Bob Updegrove luta para ter o direito de recusar contratos de trabalho que divergem de seus princípios.

– Se o governo pode lhe ordenar o que fazer, o que dizer e o que criar, então não vivemos em uma América livre – disse Updegrove.

A lei promulgada em 1º de julho de 2020 proíbe que profissionais digam publicamente que não aceitam trabalhar em casamentos gays. O decreto também defende que instituições religiosas devem contratar pessoas sem discriminar orientação sexual ou identidade de gênero.

Segundo a organização Alliance Defending Freedom (ADF), com a nova lei, o estado da Virgínia considera a postura de Bob como discriminatória.

O processo de Updegrove será apresentado ao tribunal federal, na sexta-feira (22), pelo conselheiro sênior da ADF, Jonathan Scruggs.

– Os fotógrafos, como todos os outros americanos, devem ser livres para viver, trabalhar e criar uma arte pacificamente que seja consistente com suas crenças mais profundas, sem medo de punições governamentais. Devido à interpretação do estado de sua lei, fotógrafos como Bob enfrentam uma escolha impossível: violar a lei e arriscar a falência, promover opiniões contra sua fé ou encerrar as atividades – disse o conselheiro.

Ele lembrou que o estado americano tem “tem uma longa e importante história de proteção das liberdades constitucionais”. Ainda de acordo com Scruggs, esse tipo de ação “do governo para com as pessoas de fé não tem lugar em uma sociedade livre”.

Ao recusar casamentos gays, Updegrove pode enfrentar multas de até 50 mil dólares (R$ 267 mil), como parte de uma primeira violação da nova lei. No caso de uma segunda infração, a multa aumentaria para 100 mil dólares (R$ 535 mil).

Leia também1 Ativista LGBT insiste em processar confeiteiro cristão
2 Confeiteiro que negou bolo a trans se sente perseguido
3 EUA: Supremo apoia florista que não atendeu casal gay
4 Confeiteiro que negou bolo a gays tem 3 vezes mais clientes
5 Malafaia: 'Gays não respeitam valores religiosos das pessoas'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.