Leia também:
X Esposa do pastor André Valadão defende o marido após polêmica

Quem você pensa que é?

Quem você pensa que é?

Quem você pensa que é? /Foto: Pixabay

Ângelo Éder Collares - 13/09/2020 08h00

Senhor, tu me sondas e me conheces. ” Salmos 139:1

U

ma pergunta dessas – quem você pensa que é? – faz a gente pensar. É importante pensar em quem somos, pois o que somos determina o que fazemos. O ser determina o fazer. Quando pensamos em quem somos estamos tentando prestar atenção em nossa identidade.

A identidade é construída nos primeiros anos de vida, a partir de quatro variáveis:

  1. Palavras de afirmação – reconhecimento, apreciação, incentivo e elogios proferidos pelos pais;
  2. Afeição saudável – quando recebemos afeto por meio de contato físico como abraços, beijos, andar de mãos dadas, receber colo;
  3. Tempo de Investimento – tempo investido na criança para fazer o que ela quer, o que é diferente de convida-la a fazer o que o adulto quer;
  4. Limites Coerentes – quando o sim e o não serão sempre isso mesmo, não caindo em contradição.

Não há lar perfeito. Infelizmente construímos uma autoimagem negativa, uma autoestima baixa por ter deixado de receber o que deveria ter contribuído para uma identidade equilibrada. Há muitas famílias disfuncionais, produzindo pessoas disfuncionais pela completa ausência de palavras de afirmação e de afeto saudável.

Por outro lado, não podemos ficar lambendo as feridas, com pena de nós mesmos. A questão não é o que fizeram com você. A questão é: O que você vai fazer com o que lhe aconteceu? Então, que tal trabalhar em si mesmo para superar limitações e desenvolver o potencial que Deus lhe deu?

É legítima a preocupação com quem somos. Jesus perguntou aos discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?” (Marcos 8:27). Não porque precisasse da aprovação das pessoas, mas para saber se aqueles que eram seus discípulos tinham a visão correta dele.

Faz bem perguntar a si mesmo: Tenho a visão correta de mim mesmo? Ou tenho uma autoimagem negativa e entro num processo de vitimização? Não está na hora de fazer do limão uma limonada? Só depende de mudança de atitude.

Ângelo Éder Collares é graduado em Teologia e Psicologia, especialista em Docência Superior e mestre em Educação. Atua como pastor da Igreja Batista de Viçoso Jardim, Niterói, Rio de Janeiro.
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.