Leia também:
X Wilian Nascimento pinta igreja durante quarentena

O que fazer diante das calamidades?

Virgínia Martin - 12/04/2020 08h03

É certo que todos estamos sujeitos a problemas e aflições que, às vezes, se apresentam como calamidades. A Palavra de Deus nos alerta sobre esta verdade quando diz “no mundo tereis aflições…”

Muitas vezes nos vemos debaixo de nuvens negras, túneis escuros que não nos permitem ver a luz no final. As circunstâncias são tão adversas que trazem ansiedade e perplexidade, muitas vezes nos induzindo a fugir das calamidades, numa busca desesperada de preservar a nossa vida.

Mas, quando lembramos que há um Deus a nosso favor, nos colocamos diante do Senhor e, a exemplo de Davi, expressamos a nossa confiança no Senhor, na expectativa de seu livramento, certos de que só Ele pode nos socorrer, só Ele pode nos proteger.

No Salmo 57 Davi clama a Deus por misericórdia para enfrentar o perigo: “Misericórdia, ó Deus…” Com a sua experiência aprendemos que, em tempo de dificuldades e angústia, devemos clamar a Deus, pois Ele é a nossa única base de confiança. Os problemas não podem nos sufocar, tirando de nós o poder de clamar a Deus. Mesmo quando estamos no fundo do poço, clamamos pela misericórdia de Deus, na certeza de que do Alto recebemos ajuda através da misericórdia e fidelidade do Deus Pai. Aprendemos, assim, que os problemas devem nos aproximar do Pai, através da oração.

Em segundo lugar, Davi se refugiou à sombra das asas de Deus, onde encontrou refúgio e segurança. Nos momentos de calamidade, devemos buscar abrigo no Pai que está pronto a nos acolher, estendendo a Sua misericórdia sobre nós. Diante de uma situação de perigo iminente, devemos fixar os olhos no Senhor e não no tamanho das ameaças; desta forma, a angústia não vai encontrar lugar em nossos corações.

Por fim, devemos confiar em Deus: “clamo ao Deus Altíssimo, a Deus, que para comigo cumpre o seu propósito. Dos céus Ele me envia a salvação…”. Davi percebe que existe um propósito em meio ao sofrimento e confia neste propósito. Somos servos do Deus Altíssimo e sabemos que não cai um fio da nossa cabeça sem que haja a sua permissão; nesta certeza, atravessamos as calamidades sabendo que o Senhor está cuidando e protegendo cada um de seus filhos. E seguimos com o coração firme e preparado, permanecendo fiel ao Deus que nos guarda e sustenta em toda e qualquer circunstância.

Izilda Portela é graduada em Jornalismo, pós-graduada em Terapia de Família e em Liderança Avançada pelo Instituto Haggai Singapura.

Leia também1 É possível agradecer por tudo?
2 Encontros que transformam
3 Que darei eu ao Senhor?

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.