O prazer de Deus no ofertante e em sua oferta

Léa Mendonça - 10/10/2019 05h00

“E aconteceu que no fim de uns tempos, trouxe Caim do fruto da terra, uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Senhor de Abel e de sua oferta, ao passo que de Caim e de sua oferta, não se agradou.” (Gn 4:3-5)

O prazer de Deus em Abel e em sua oferta e o desprazer em Caim e em sua oferta parecem encontrar explicação nos respectivos caráteres dos ofertantes, e possivelmente nos tipos de ofertas. Em 1Jo 3:11-12 encontramos explicação para o agrado e desagrado de Deus ante tais ofertantes: “Porque a mensagem quer ouvimos desde o princípio é está: que nos amemos uns aos outros, não segundo Caim que era do maligno e assassinou seu irmão. E por que o assassinou? Porque suas obras eram más e as de seu irmão, justas.”

Caim teve inveja de Abel, e embora Deus o tenha procurado para um diálogo sobre o ocorrido, ele o rejeitou. Os desígnios de um coração logo são desvendados, os frutos denunciam a árvore, a boca fala do que o coração está cheio e os olhos são a candeia da alma; se os olhos são bons, todo o corpo tem luz, mas se são maus, todo o corpo anda em trevas. Irou-se sobremaneira Caim e descaiu-lhe o semblante. O Senhor lhe disse: “Por que andas irado? Se procederes bem não é certo que serás aceito? Se procederes mal, o pecado bate à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo!” Precisamos ter cuidado com nossos sentimentos. É um exercício diário, constante, ininterrupto.

“Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim, pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela também, mesmo depois de morto, ainda fala.” (Hb 11:4) O caráter do ofertante influuncia na sua oferta, na sua adoração, na sua conduta, na sua santidade, nos seus relacionamentos… Caim não deu ouvido para Deu que estava disposto a aceitá-lo bem como a sua oferta no próximo sacrifício, mas Caim preferiu convidar o irmão para um passeio e ali o matar.

“Preciosa é aos olhos do Senhor as morte dos seus santos.” (Sl 116:15) Abel não foi abatido; foi promovido, mas Caim ficou para prestar contas. “A voz do sangue de Abel clama da terra a mim.” Caim agora é maldito por toda a terra. A terra não dará mais a sua força. Sendo ele agricultor, sentiria muita dificuldade no realizar de suas funções. Será fugitivo e errante pela terra, com um sinal para ser reconhecido como assassino por onde passar. Ele se retira da presença de Deus e vai habitar em Node, bem longe de Deus. Jamais poderá dizer que não teve oportunidade para recomeçar fazendo a coisa certa.

Deus está sempre disposto a dar mais uma oportunidade.

 

Léa Mendonça é pastora da Igreja Batista Nova Jerusalém, no Rio de Janeiro; cantora e escritora.

LEIA TAMBÉM+ Não podemos perder o alvo
+ Moderação no falar
+ O poder de um abraço


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo