Leia também:
X Não desanime!

Não chorem…

Paulo Natalino Dian - 03/09/2020 05h00

A morte não é o fim Foto: Pixabay

“Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?” (João 11:25-26).

Amados! Não quero que vos entristeçais acerca dos que já dormem, assim como os demais! Sim! Como aqueles que não têm esperança. Ouvistes falar da cruz? Aquela lá do Calvário na qual Cristo Jesus verteu Seu sangue e, de vez, selou a nova aliança?

Tu crês na ressurreição? No soerguimento da morte e na ascensão para o céu? Então creia, meu irmão, mas creia de peito aberto, como quem vê e, então, pode afirmar como certo, o retorno triunfal de Jesus em Sua glória, cujo ato principal mudou o curso da história.

Perdão, tu crês na ressurreição? Na ressurreição de Jesus? Estás seguro do SIM? Então levanta a cabeça e vislumbra o sangue vertido, seguido do túmulo vazio, da aparição do ungido e afirma com segurança:

A morte não é o fim. Não foi para Jesus, não será para mim e não será, igualmente, para os queridos que antes foram ao encontro do Pai. Haverá um reencontro “nesse tão glorioso dia quando o crente ressurgir”. Haverá júbilo e choro, mas choro de alegria quando a trombeta estrugir.

A saudade é natural, mas ela é passageira. Faça sua companheira, além da saudade, a certeza de que a vida eterna é real. A trombeta soará, Jesus Cristo voltará e com Ele há de trazer a todos que Nele dormem. Isso vai acontecer. E talvez já não demore.

Por isso, amados meus, alicercem-se em Deus e consolem-se.

Não chorem.

Paulo Natalino Dian é advogado licenciado, assessor de órgão julgador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, pregador leigo, atuou por vários anos como professor dos professores na EBD da Primeira Igreja Batista em Heliópolis e, atualmente, é um dos mentores no movimento Caminho da Graça.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.