Leia também:
X Crentes oram em floresta para não serem perseguidos em Laos

Lidando com as emoções dos outros

Lidando com as emoções dos outros

Lidando com as emoções dos outros /Foto: Pixabay

Ângelo Éder Collares - 19/09/2020 08h00

Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha, e não deem lugar ao diabo.” Efésios 4:26,27

L

idar com as próprias emoções não é fácil, imagine então lidar com as emoções dos outros. Precisamos descobrir desde cedo que ninguém muda ninguém. O máximo que conseguimos é despertar a motivação de alguém para querer mudar. Em situação de liderança a habilidade de lidar com as emoções dos liderados é desejável.

Nas organizações empresariais, o líder sempre vai trabalhar em duas dimensões: a liderança ligada às pessoas e a liderança ligada à organização. Pessoas são a razão de existir das organizações, portanto, não será sábio priorizar a organização em detrimento das pessoas.

Lidar com as emoções à flor da pele da alta gerência é tão importante quanto lidar com as emoções dos colaboradores. Existem horas que precisamos pedir sabedoria do alto para achar o ponto de equilíbrio.

Na igreja, as pessoas esquecem de que não estão autorizadas pela Palavra de Deus a despejar sua hostilidade reprimida em cima de ninguém, de que precisam conter sua ira para não pecar e para não dar lugar ao diabo. Infelizmente esses princípios ficam somente no nível da leitura, e são pouco colocados em prática. Ao lidar com as emoções dos outros na igreja, tenho que cuidar para que eu não peque, pois vou responder pelo meu comportamento e não pelo comportamento de quem me ofendeu.

Na família, não temos o controle das emoções das pessoas. Tentar controlá-las será como correr atrás do vento. Já que não consigo mudar ninguém, já que não consigo mudar a situação, então mudo eu. Vou procurar mudar de atitude, mudar a maneira como lido com a situação, não permitindo que me afete demais e deixando de me incomodar exageradamente.

Se queremos ter uma vida longa e saudável, será bom aprender que não mudamos as emoções das pessoas, mas podemos mudar as nossas. Em família, às vezes, será melhor dizer consigo mesmo: “eu não quero ter razão, eu quero ter uma família”.

Ângelo Éder Collares é graduado em Teologia e Psicologia, especialista em Docência Superior e mestre em Educação. Atua como pastor da Igreja Batista de Viçoso Jardim, Niterói, Rio de Janeiro.
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.