Levante-se!

Maurício Zágari - 13/05/2019 05h00


Bastou um segundo de desatenção, um tropeço em um pequeno degrau da calçada e pronto: minha mãe levou um tombo. Ouvi o grito, virei-me e lá estava ela, de rosto colado no chão. Corremos para socorrê-la, a levamos ao hospital, fizemos a tomografia e logo veio o diagnóstico: sangramento no cérebro. Mamãe não conseguia falar. A única esperança era a cirurgia. Logo ela parou de mexer a mão direita e, em pouco tempo, todo o lado direito. Recebemos o sinal verde para a cirurgia. Seu crânio foi perfurado, o sangue foi drenado e passamos por momentos difíceis. Tudo por causa de um tombo.

Caminhamos pela vida com desenvoltura. Somos cristãos confiantes, cremos que resistiremos às tentações. Conhecemos a verdade, caminhamos pela verdade, pregamos a verdade, lutamos pela verdade. Mas… basta um pequeno degrau na calçada e pronto: o tombo. Por isso o alerta bíblico: Está de pé? Preste atenção! Cuidado para não cair! Faça o que for preciso para evitar o tombo.

Precioso leitor, não há necessidade de eu lhe dizer o que precisa ser feito para não levar um tombo em sua santidade. Você sabe. Ainda assim, permita-me lembrá-lo:

  • Primeiro, caminhe sempre olhando para o chão, para que não leve um tombo sem perceber. Isto é, vigie.
  • Segundo, tenha os olhos fixos não apenas em seus pés, mas fique atento à distância, antecipando os obstáculos perigosos do caminho e desviando-se deles antes que cheguem perto. Isto é, antecipe-se. Enquanto o obstáculo ainda for uma tentação, corra dele, antes de sentir o gosto do asfalto do pecado.
  • Terceiro, esteja sempre atento aos alertas do Senhor. Isto é, tenha uma vida de oração e estudo da Palavra, para que haja uma sintonia constante entre você e a voz de Deus.

Em linguagem bíblica: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41).

Minha mãe quase morreu, mas hoje, está recuperada. Ela teve que fazer fisioterapia e tratamentos especiais, passou meses em observação, sempre precisando estar acompanhada de alguém, necessitando de auxílio até para tomar banho. Afinal, todo tombo tem consequências que demandam tempo para passar. Hoje ela está de pé, caminhando sem ajuda. Vida que segue. Ainda não foi desta vez que sua jornada terminou. Há muita coisa à frente.

De igual modo, é fundamental que você saiba que, se tomou um tombo, isso não significa o ponto final. Nada disso. Há vida à frente. Há restauração. Há recuperação. Há perdão. Coma, beba e recupere as forças, porque sua jornada será sobremodo longa. Viva o luto, tome os remédios, aceite as limitações temporárias, conforme-se com os hematomas, leve o tempo necessário para que suas pernas sejam fortalecidas e seu equilíbrio seja restabelecido. A única coisa que não pode acontecer é você permanecer no chão.

E, se alguém lhe disse que seu lugar é no chão, não acredite. É uma mentira diabólica. Jesus não deseja ver ninguém prostrado, mas restaurado. Pense no que você pode aprender com o tombo. Reflita sobre como usar essa experiência para o seu crescimento e amadurecimento, de preferência transmitindo as lições aprendidas a outras pessoas.

Tombos doem. Machucam. Deixam cicatrizes e sequelas. Mas podem ser evitados, se você tomar as precauções necessárias. Porém, se ele acontecer, lembre-se de que você tem um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo, e que, se houver arrependimento, pedido de perdão e a intenção sincera de não mais incorrer no mesmo tropeço, você será restaurado. O chão não é o seu lugar, ele é apenas um mestre que lhe ensinará muitas coisas. Levante-se!

Maurício Zágari é teólogo, escritor, editor, comentarista bíblico e jornalista. Escreve regularmente em seu blog, Apenas. É membro da Igreja Cristã Nova Vida em Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo