Festa dos Tabernáculos; Festa da Colheita

Léa Mendonça - 09/10/2019 05h00

(Lv 23:33:44)

“Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” (Jo 7:37-38) Está Festa é celebrada a partir do dia 15 do sétimo mês, Tishrei, no calendário hebraico e setembro no nosso calendário, com uma semana de duração, cujo objetivo é relembrar os 40 anos de peregrinação pelo deserto, quando o povo não possuía casa
própria nem terra, vivendo em tendas ou cabanas, e celebrar ao Senhor por tão grandiosa salvação. Outro nome dado a esta festa é “Festa da Colheita”, cuja estação é o outono, quando se realizam várias colheitas no país. Era uma das três festas em que o povo peregrinava até o Templo. As outras são Pentecoste e Páscoa. Durante essa Festa, os Sacerdotes realizavam várias cerimônias, cheias de símbolos e significados.

Durante os sete dias, ofertavam animais no altar do templo. No último dia, davam sete voltas ao redor das ofertas, derramando água sobre o altar para lavar o sangue dos animais, sempre profetizando “chuva”. Durante seis dias, eles faziam a procissão da água, uma vez a cada manhã. No sétimo, o dia da grande salvação, a procissão era repetida sete vezes. Um ritual. O sumo sacerdote ia à frente da procissão com um jarro de ouro cheio de água tirada do tanque de Siloé, considerada água sagrada, e em seguida a derramava em torno do altar. Então, o shofar era soprado, e salmos de louvor e ações de graças a Deus pela colheita eram entoados.

A água derramada se encontrava com o sangue dos animais oferecidos. Então vinha a chuva tão desejada. A água e o sangue desciam por toda a Jerusalém, saindo do templo e tocando as ruas, levando esperança e cura por onde passava, renovando a vida e avivando os abatidos até desaguar no Rio Jordão. Naquele ano, no último dia da festa, Jesus se levantou e disse: “Se alguém tem
sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” (Jo 7:37-38) Jesus é a Água Viva, a água que dessedenta a sede espiritual dos homens. Ele estava ali e muitos sequer o aceitaram. Ele disse à mulher Samaritana: “Se tu conheceras o dom de Deus e quem é que te pede de beber, tu lhe pedirias e ele te daria “água viva”. (Jo
4:10) Que coisa maravilhosa. A Festa da Colheita continua sendo celebrada, o povo continua dependendo de Deus para fazer suas colheitas e, geralmente no último dia da Festa, chove em Israel, significando que o Ato Profético continua sendo aceito por Deus.

Não dependa de homens, nem mesmo de você, dependa do Senhor Jesus. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e o mais ele fará .” (Sl 37:5)

Léa Mendonça é pastora da Igreja Batista Nova Jerusalém, no Rio de Janeiro; cantora e escritora.

LEIA TAMBÉM+ Faltam pessoas para o serviço de Deus
+ Falange das mensageiras das Boas Novas
+ Protegendo as portas da cidade


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo