Leia também:
X Laura, filha de Fernanda Brum e Emerson, se batiza no Jordão

Escolha amar o seu próximo

Neuber Lourenço - 20/05/2019 05h00


“Ame ao seu próximo como a você mesmo”
(Lucas 10:27)

Para explicar o que significa amar ao próximo, Jesus contou a parábola do bom samaritano. Nela, um homem é assaltado e ferido na estrada. Passam por ele alguns religiosos, conterrâneos, mas ninguém faz nada para ajudar. Até que passa um samaritano e cuida do homem ferido, encontra um lugar para ele se curar das feridas e paga todas as despesas até que aquele homem ficasse completamente recuperado.

Jesus estava querendo mostrar o valor de amar a todos e o valor de amar a alguém. Amar a todos significa que não deve haver nenhuma pessoa fora dos limites do nosso amor; e amar a alguém significa que podemos demonstrar amor apenas para as pessoas com quem estamos agora. Não adianta falar de amor de forma bonita e elegante, sem fazer nada para suprir, de maneira prática, às necessidades da pessoa que está ao nosso lado. Da mesma forma, não adianta demonstrar um amor que supre as necessidades das pessoas próximas, mas trata com preconceito quem está fora do nosso círculo mais íntimo.

Essa história que Jesus contou ensina que não podemos limitar o nosso amor. E, sejamos honestos. É muito fácil limitar o nosso amor.

Limitamos nosso amor em virtude das nossas diferenças. Jesus deixou claro que não há limites para o nosso amor. Ele disse, inclusive, para “amar os nossos inimigos e orar por quem nos persegue”. Aos olhos humanos, isso não é tão simples, mas no momento que decidimos limitar o nosso amor, nos afastamos do amor divino. Por isso, Deus quer que dependamos Dele para que possamos obter poder para amar. Assim, Ele nos desafia a amar de uma forma que só conseguimos por meio da dependência diária do Seu poder.

Limitamos o nosso amor em virtude do medo, pois amar envolve riscos. Muitos sofreram por escolher amar e, por isso, acabaram limitando o seu amor. Precisamos correr o risco de amar, porque nenhuma ferida ou mal-entendido que vierem sobre nós podem se igualar à dor maior de sonegar o nosso amor.

Amar é arriscado, mas vale a pena correr esse risco, mais do que qualquer outro na vida. Guarde bem isso: o único relacionamento do qual você deve depender realmente é o relacionamento com Jesus Cristo. Confie em seu relacionamento com Ele para correr o risco de amar ao seu próximo. As pessoas podem desapontar você, mas Jesus nunca o deixará na mão.

Neuber Lourenço é pastor sênior da Igreja Batista da Orla de Niterói.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.