Leia também:
X RJ: Cantora gospel fala sobre sua apresentação no Réveillon

A oração da santificação

Joaquim de Paula Rosa - 01/01/2020 05h00

A prática da oração deve ocupar lugar de destaque na vida cristã. O apóstolo Paulo ordena “Orem sem cessar.” (I Ts 5:17).

Nossas orações podem estar categorizadas sob os temas de 1. Adoração; 2. Louvor; 3. Ação de Graças; 4. Santificação; 5. Intercessão; 6. Petição; 7. Consagração. Sejam 5, 10, 30 minutos ou uma hora, em nosso hábito e prática de oração, uma ou duas dessas sete ênfases ocuparão a maior parte do tempo, sem que percamos de vista, as demais categorias.

Hoje, daremos destaque à quarta prioridade, a ORAÇÃO DE SANTIFICAÇÃO. Essa, é a 4ª (quarta) prioridade em termos de gradação da prática da oração por aqueles de nós, os filhos de Deus, e discípulos de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Primeiro, Adoração; segundo, Louvor; terceiro, Ação de Graças; quarto, Santificação. Essas sete prioridades, não devem ser embaralhadas. Devemos praticar as sete, cada uma, no seu respectivo turno. Fazendo assim, teremos uma vida de oração intensa, robusta, abrangente, eficiente, eficaz, efetiva.

Santificação é cuidar de limpeza de pecado de iniquidade, de maldade, de sujeira espiritual pessoal e ou coletiva. Santidade significa separação, limpeza. Depois de adorar, de louvar, de dar graças, havemos de buscar santidade. Isso tem a ver com Jesus Cristo, com a cruz do calvário, que é o “CHUVEIRO DE DEUS”, a jorrar sobre nós, os pecadores, o sangue de Cristo que nos purifica de todo pecado.

Veja o que o Apóstolo João nos diz em sua Primeira Carta, capítulo 1: “7 Se andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. O pecado, a confissão, o perdão 8 Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos enganamos, e a verdade não está em nós. 9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

PRATICANDO A SANTIFICAÇÃO:

Vá para um lugar isolado e dialogue com Deus a respeito de sua vida pessoal e de sua convivência e trato com o pecado. Peça perdão. Suplique por limpeza, por santidade. Seja qual for o pecado, Deus perdoa.

Joaquim de Paula Rosa é pastor, membro da Primeira Igreja Batista em Botafogo, na cidade do Rio de Janeiro, onde é responsável pelo Ministério de Língua Inglesa, é coordenador geral da OMEBE (Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior), bacharel em Teologia, jornalista, especialista em Crescimento de Igreja, Evangelização Pessoal e Discipulado Cristão, é membro da AELB (Academia Evangélica de Letras do Brasil) e da ABME (Associação Brasileira de Mídias Evangélicas).

Leia também1 ”Você pode me perdoar, Abuna?”
2 Tem que ser agora
3 O lugar do nosso problema

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.