Leia também:
X Nadador ganha 5 medalhas de ouro e glorifica a Deus

China remove cruzes dos barcos de pescadores cristãos

Autoridades do Partido Comunista Chinês (PCC) ameaçam proibir pesca de quem professar a fé cristã

Monique Mello - 03/08/2021 16h09 | atualizado em 03/08/2021 16h47

Cruzes de barcos de pesca em ilha na China são removidas à força Foto: Reprodução

Na última semana, funcionários do condado de Qushan, na China, removeram à força cruzes de vários barcos de pesca. Eles também apagaram inscrições com “Emmanuel”, pintadas nos barcos, e ameaçaram os pescadores dizendo que, se eles se recusassem a deixá-los fazer as remoções, não lhes concederiam autorizações de pesca. A ação foi uma ordem das autoridades do Partido Comunista Chinês (PCC).

Nenhum documento legal foi apresentado pelos funcionários, que também ameaçaram não permitir que os pescadores comprassem nem mesmo gasolina para as embarcações.

Um dos pescadores utilizou a internet para protestar, pois, no que tange à propriedade e a bens pessoais, a liberdade religiosa está na Constituição.

– O governo é completamente irracional. Os barcos de pesca são propriedade pessoal. Temos o direito de colocar cruzes em nossos barcos. A liberdade religiosa está escrita na Constituição. No entanto, é apenas conversa fiada. O governo nunca faz cumprir a Constituição – protestou o pescador.

– Nossos barcos são nossa propriedade pessoal. O governo do condado está destruindo propriedades pessoais quando remove cruzamentos à força, não é? Por que eles removem apenas cruzes, mas não sinais e slogans de outras religiões? Por que as cruzes os incomodam? Se eles não gostam de uma cruz, por que não podem simplesmente considerá-la como o logotipo da Cruz Vermelha? – questionou outro.

A população de Qushan chega a 70.000. Um terço dela é composto por cristãos. Embora alguns residentes não afirmem ser cristãos, a maioria já ouviu de seus familiares e amigos algo sobre “ter vida eterna em Jesus”.

O cristianismo começou a criar raízes no condado a partir de 1863, quando um barco britânico naufragou em um recife perto de Qushan. Depois que os pescadores locais salvaram 24 tripulantes, o Consulado Britânico enviou uma grande placa com a inscrição Shine Jesus Shine [Brilha, Jesus, Brilha], para agradecer-lhes.

De acordo com relatório da China Aid, a perseguição religiosa na China aumentou em 2020. Durante a pandemia da Covid-19, o governo de Xi Jinping depredou várias igrejas cristãs no país.

 

Leia também1 China e Rússia unem tropas para exercício conjunto em agosto
2 Professor se desculpa por dizer que 'só mulheres engravidam'
3 Cristãos vão ao MP apoiar pastor que se opôs à ideologia de gênero
4 Regis Danese: 'Ore para que Deus dê sabedoria aos governantes'
5 Rebeca Andrade canta louvor ao vivo em canal da Globo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.