Leia também:
X De delegado a missionário: ‘Hoje eu tiro as pessoas das prisões’

Ângela Bismarchi: “O evangelho que conheço é de transformação de vida”

Como parte da nova vida, apresentadora lê a Bíblia, estuda e comanda um programa no YouTube

Ana Luiza Menezes - 09/12/2020 21h21 | atualizado em 09/12/2020 21h32

Ângela Bismarchi Foto: Divulgação

Ângela Bismarchi já não é mais conhecida apenas pelo passado de cirurgias e Carnaval, mas pela transformação do Evangelho em sua vida. Ao participar da live do Pleno.News, nesta quarta-feira (9), ela falou sobre vários assuntos, como fé, beleza, mudanças, pressões e família.

Como parte da nova vida, Ângela lê a Bíblia, estuda, e apresenta um programa no YouTube que viabiliza conhecimento a respeito de diversos temas.

Apesar da lembrança do passado, ela faz questão de enfatizar a mudança que a Palavra de Deus produziu em sua vida. Ângela disse ter certeza de que Deus sempre teve um propósito para sua vida.

– Foram quase 20 anos de Carnaval. Comecei antes, mas no ano 2000 surgi com uma bandeira pintada no corpo, que causou polêmica. Eu encarava um Carnaval como um trabalho. (…) Sempre fui a mulher da polêmica no Carnaval e, assim, foi acontecendo: muitos shows, capas de revista, programas de TV. Foi uma trajetória de altos e baixos. Tive as tragédias, perda de marido, de irmã. Foi uma caminhada difícil. Já tive perdas materiais, sentimentais e só Deus mesmo na minha vida para me manter de pé. Hoje, eu entendo, como uma mulher convertida ao Evangelho, que Deus tinha um propósito na minha vida. As perdas foram boas para mim porque dou valor a coisas que não valorizava antes – disse ela.

Bismarchi afirmou que a transformação radical que experimentou foi resultado da obra de Deus em sua vida. Ela também contou como começou a estudar a Bíblia.

– A gente não consegue isso sozinho, isso é obra de Deus na minha vida. O evangelho que conheço é de transformação de vida. Deus transforma a pessoa através do Evangelho, da Palavra. Eu comecei ouvindo em reuniões de células e me encantei; larguei tudo pelo Evangelho.

O evangelho que conheço é de transformação de vida

Para ela, não expor mais o próprio corpo, como fazia antes, é uma das melhores mudanças que teve.

– Eu expunha muito o meu corpo. Eu gosto dessa mudança de não querer mais isso para mim. Pode entrar nas minhas redes sociais que não me vê mais expondo. Nunca mais pisei na Avenida depois que me converti.

BELEZA NA MEDIDA CERTA
Ainda sobre seu canal e a influência que exerce sobre um grande número de mulheres, Ângela defendeu que é importante se cuidar sem exageros e sem se importar com pressões.

– Estou sempre me cuidando. Nosso corpo é templo do Espírito Santo e temos que cuidar da nossa saúde, da nossa aparência. O nosso companheiro também quer nos ver bonita. E você tem que se gostar e depois gostar do próximo. Não é porque sou cristã que não vou me cuidar. Eu continuo treinando, [mantenho] alimentação saudável. Os hábitos bons eu mantenho, os ruins vou tirando. Antigamente, eu fazia muita lipo, agora faço dieta. (…) Antes eu era exagerada e já fui chamada de ‘rainha das plásticas’. Se eu precisar, faço, mas depois que me converti estou mais tranquila. A cobrança [que existia] em cima de mim, era um peso que eu carregava: o peso da perfeição.

Os hábitos bons eu mantenho, os ruins vou tirando

META
Ângela falou sobre como quer ser conhecida, na nova fase de sua vida.

– Uma mulher de Deus, que leva o evangelho – respondeu.

Ela revelou que, ao lado do marido, Wagner de Moraes, já teve que enfrentar críticas por conta da decisão de seguir a Cristo.

– As pessoas acham que eu e Wagner nos convertemos para ganhar dinheiro. Mas eu digo que não estou ganhando, estou gastando e investindo nas coisas de Deus; comprando livros, estudando. Faço aula de canto e poderia estar por aí gravando CDs, mas não estou. Eu amo louvar. A gente tem que fazer da nossa casa um templo e adorar. A gente tem que estar alicerçada na Rocha, que é Cristo. Se eu estivesse no mundo, agora, não estaria entendendo, mas essas coisas (peste, fome, etc) estão na Bíblia – falou.

As pessoas acham que eu e Wagner nos convertemos para ganhar dinheiro. Mas eu digo que não estou ganhando, estou gastando e investindo nas coisas de Deus

A FAZENDA
Ao relembrar a participação no programa A Fazenda, da Record, Ângela destacou que ainda não era cristã ainda, mas que teve que clamar a Deus diante da notícia da morte de sua irmã.

– Participei em 2012. Não foi fácil. Encarei como uma experiência nova. Ali, você tem que conviver com as pessoas e, se não tiver discernimento, vai sair brigando. Eu até me surpreendi, não briguei com ninguém e conciliava as pessoas. O clima lá dentro é muito pesado. (…) Quando eu estava lá, minha irmã se suicidou, meu cunhado também morreu. Eu nem era convertida, mas gritei por Jesus quando me deram a notícia – relatou.

RELACIONAMENTO
Ângela defende que a família é um projeto de Deus. Ela lamentou a quantidade de divórcios durante a pandemia da Covid-19.

– Duas pessoas debaixo de um mesmo teto não é fácil. Ninguém é perfeito, mas a gente vai consertando. Eu li sobre casais e sobre como se separou gente nessa pandemia. Será que realmente existia amor? Quando a gente tem amor, a gente supera. O amor, na Bíblia, é a prática e é assim que eu procuro viver com o Wagner. É um exercício diário, mas a gente vai relevando. Família é bíblico, vem do céu. a gente tem que manter, Eu passei por muita coisa na minha vida que, se não fosse a minha família, eu não conseguiria passar. Uma família unida é uma Igreja forte.

Leia também1 Ângela Bismarchi: "Procuro ser bênção na vida das pessoas"
2 Ângela Bismarchi diz que é mais feliz fora do carnaval
3 Assim como Kel Mitchell, veja famosos que viraram pastores
4 Angela Bismarchi: 'Encontrei a paz no Evangelho de Cristo'
5 "Aprendi que a beleza vem de Deus", diz Angela Bismarchi

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.