Leia também:
X Isadora Pompeo pede perdão por “escandalizar o Evangelho”

70% das pessoas estão orando mais desde o início da pandemia

Levantamento do Glorify mostrou também que 64% das pessoas recorrem à oração e à meditação na administração da ansiedade

Pleno.News - 17/05/2022 14h04 | atualizado em 17/05/2022 14h19

Setenta por cento das pessoas estão orando mais desde o início da pandemia Foto: Pixabay

Pesquisa realizada pelo Glorify, aplicativo que possibilita aos cristãos a realização de reflexões, meditações guiadas, orações e leituras de passagens bíblicas, aponta que 70% das pessoas estão orando mais desde o início da pandemia. Além disso, 64% dos entrevistados disseram que planejam recorrer à oração e à meditação, em vez de exercícios, para ajudá-los a administrar a ansiedade ao longo de 2022. A pesquisa contou com mais de 1.000 usuários do app com idades entre 19 e 65 anos, nos Estados Unidos, Reino Unido e América Latina.

Ao abranger tópicos que vão desde a prioridade da oração em 2022, até os pontos que lhe causaram ansiedade em 2021 e como lidar com o transtorno, o relatório identificou ainda mudanças na rotina de oração dos cristãos por causa da pandemia do Covid-19. Além disso, examinou o bem-estar, a conexão com a religião e os planos para este ano.

RESULTADOS
Entre os principais pontos identificados pela pesquisa, está a informação de que 1/3 das pessoas disseram que estabelecer um tempo diário de oração é uma das principais prioridades do ano. Elas classificaram isso acima de seu trabalho/carreira e de passar tempo com amigos e familiares. Quando se fala em expectativas para 2022, mais de 50% dos entrevistados estão preocupados com sua saúde mental e física, conflitos globais, finanças e trabalho. Além disso, também afirmaram que estão apreensivos com as incertezas gerais do futuro.

– As pessoas estão buscando um significado maior neste momento de agitação. A oração tem o poder de ajudar as pessoas a combater a ansiedade, dormir melhor e apoiar seu bem-estar geral e, nos últimos meses, vimos isso em abundância – disse Henry Costa, cofundador e coCEO da Glorify.

Os entrevistados também observaram que a tecnologia desempenhou um papel importante em sua experiência religiosa em 2021. Trinta e cinco por cento dos entrevistados afirmaram que frequentavam a igreja de forma online e 53% disseram que começaram a usar tecnologia, como aplicativos e ferramentas, para viabilizar seu tempo a sós com Deus.

Para Ed Beccle, CEO e cofundador do Glorify, a tecnologia é uma alternativa e uma grande aliada na hora de praticar uma religião ou exercer a fé em casa.

– Considerando que as pessoas lutam para encontrar tempo para se conectar com Deus, o nosso app foi projetado para se tornar um aplicativo habitual, promovendo hábitos positivos e de mudança de vida nos usuários por intermédio de sua conexão com Deus – explica.

Desenvolvido em Londres, na Inglaterra, o Glorify permite que fiéis do mundo inteiro façam reflexões, meditações guiadas, orações e leiam passagens da Bíblia – tudo isso, compartilhando com amigos e comunidade religiosa. A ideia do app nasceu quando Costa e Beccle perceberam a importância de democratizar o conteúdo cristão, com curadoria, para facilitar a rotina de adoração dos cristãos e promover o bem-estar do usuário. A versão brasileira do app, que chegou no país em janeiro de 2021, já ultrapassou a marca de 2,5 milhões de downloads. O app pode ser baixado gratuitamente em dispositivos iOS e Android.

Leia também1 Ana Paula Valadão lança livro e faz revelações sobre felicidade
2 Código do Armagedom une ação, aventura e profecias bíblicas
3 Deive Leonardo se apresenta no Rio com ingressos esgotados
4 Michelle hasteia bandeira do Brasil no Mar da Galileia
5 Louvorzão 93 é relançado e tem nova data e local

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.